terça-feira, 8 de setembro de 2015

TRANSA REPENTINA


A clínica de Camila era a mais renomada daquela cidade. Decorada com sofisticação e bom gosto, o local atraía as mais bem sucedidas mulheres da cidade em busca de cuidados estéticos e bem estar. Camila, por sua vez, também era muito bem sucedida. Os negócios iam muito bem. Era uma bela mulher de cabelos louros e olhos azuis. Seu corpo escultural provocava desejo nos homens e inveja nas mulheres. Os homens viviam a seus pés, enfeitiçados pelos seus atributos físicos e emocionais. Isso porque Camila era também muito simpática e agradável.
Encerrado o último atendimento do dia, apesar de cansada, ela não deixaria de fazer aquilo que mais gostava (depois do seu trabalho que era sua paixão): gastar um pouco da energia que ainda sobrara cuidando de seu próprio corpo. Camila adorava malhar após o trabalho.
Aquele dia havia sido especialmente exaustivo. Era uma sexta-feira e uma festa na residência de uma das mulheres mais conhecidas do high society, havia provocado um frisson entre as mulheres. Todas desejavam estar deslumbrantes no evento, e nesses casos era a Camila que confiavam suas faces e corpos para cuidados. Ela havia atendido até bem depois das vinte e duas horas. Mas isso não a impediria de se exercitar.
Chegou à academia pouco antes das vinte e três horas. Em uma sexta-feira, poucas pessoas estariam em uma academia em vez de se preparando para as melhores baladas do sul do país. Camila cumprimentou a recepcionista e foi ao vestiário trocar-se. Ela costumava usar malhas que ressaltavam seu corpo que parecia ter sido esculpido por um habilidoso artesão. Tinha a pele clara e seus seios eram duros e empinados. O que não se podia saber vendo-a vestida é que também eram deliciosamente rosados e pontudos. Suas pernas torneadas e sua bunda durinha eram uma visão que provocava tesão em quem as olhasse. Uma visão deliciosa.
No salão havia apenas o professor, um outro aluno que já estava no terminando seu treino e fazia os alongamentos finais e uma outra mulher.
Lunna era também uma mulher muito bonita. Como Camila, Lunna também era loira, mas tinha os olhos castanhos. Era também magra, mas com formas que poderiam ser definidas como deliciosas. No momento em que Camila entrou no salão, seus olhares se cruzaram e Lunna sorriu com simpatia. Enquanto se exercitavam, Camila notou que Lunna a observava. Isso despertou em Camila uma gostosa vontade de se exibir. Ela fazia seus exercícios bem lentamente enquanto se exibia para Lunna. Era impossível não perceber que as duas se desejavam.
Terminado seu treino, Lunna foi alongar-se e então foi sua vez de se exibir. Sentada no chão, com as pernas abertas e uma calça muito justa, Lunna se mostrava enquanto tombava seu tórax para frente para deixar seus seios a mostra pelo decote da larga blusa que estava usando. Ela não estava usando seu top nesse dia. Lunna olhou para Camila e sorriu de maneira insinuante. Depois retirou-se para o vestiário.
Camila ainda terminava suas últimas séries e tentava controlar o tesão que estava sentindo. Dava preferência por malhar glúteos e pernas. Não era à toa que eram essas suas partes que atraíam a maior parte dos olhares de homens e mulheres. Terminou seus exercícios e também dirigiu-se ao vestiário a fim de se trocar. Queria chegar em casa rapidamente, comer algo, tomar um banho e dormir até tarde.
Ao entrar no vestiário, Lunna havia acabado de terminar seu banho. Estava enrolada em uma toalha branca e com os cabelos molhados. Cumprimentaram-se com um oi. Lunna desenrolou a toalha e começou a se enxugar. Camila disfarçadamente pode então reparar que Lunna tinha um corpo escultural. Barriga sequinha, belos e grandes seios e estava toda depilada. Sentiu um breve calafrio de tesão percorrer seu corpo. Lunna percebeu seu interesse e sutilmente começou a se exibir um pouco. Primeiro, ficou de costas para Camila, exibindo uma deliciosa bunda durinha, e curvou-se para frente empinando e provocando enquanto enxugava suas pernas. Camila despia-se tentando disfarçar o interesse, mas sem deixar de admirar o corpo da colega. Lunna, por sua vez, sentou-se de frente para Camila, enquanto se enxugava. Camila não conseguiu esconder mais o interesse e passou a olhar diretamente.

- Gostou? – Camila não esperava a pergunta e por alguns segundos ficou sem resposta.
 
- Você tem um corpo muito bonito – respondeu em seguida.
Lunna levantou-se com um sorriso sacana, um olhar provocante e acariciando seus seios e aproximou-se de Camila. Parou na frente dela.

- Eu estava louca para te encontrar aqui no vestiário – disse.
Àquelas alturas, Camila já estava molhada, então Lunna começou a passar a mão pelo seu corpo. Deu a volta em torno de Camila e abraçando-a por trás começou a apertar seus seios e beijar seu pescoço. Camila fechou os olhos e soltou um gemido. Lunna começou devagar, mas em pouco tempo chupava e lambia Camila com muita vontade. Virou-a de frente e lhe deu um beijo quente e molhado que se estendia para o queixo e pescoço.
As pernas de Camila bambeavam sentindo a boca quente de Lunna agora em seus seios. Ela alternava lambidas, chupadas e leves mordidas, tudo olhando a outra no fundo dos olhos como prestes a devorá-la por inteiro.
Camila nunca havia estado com uma mulher, mas várias vezes havia fantasiado aquela cena. E parecia que Lunna adivinhava todas as suas vontades. Enquanto lambia seu corpo, Lunna arranhava as costas de Camila. O sexo de Camila chegou a escorrer de tesão quando Lunna fincou as unhas em sua bunda. Dessa vez, Camila soltou um gemido alto, sem se preocupar se o professor ou a recepcionista poderiam escutar.
Foi então que Lunna começou a abaixar-se, escorregando seu corpo e sua língua no corpo de Camila. Quando estava na altura da virilha, sem nenhuma cerimônia começou a lambê-la. Novo gemido. Camila estava de olhos fechados, com o rosto voltado para o teto. Uma de suas mãos apoiadas sobre o ombro de Lunna e a outra agarrava os cabelos dela, forçando o rosto e a boca de Luna. Levantou uma das pernas e apoiou em um banco, abrindo mais ainda para que Lunna pudesse penetrar mais fundo com sua língua.
Camila não conseguia mais conter o tesão e começou a gemer alto. Um dos dedos de Lunna a penetrou, em seguida outro, sua lingua nao parava de fazer movimentos circulares em seu clitoris. Uma lingua macia, dedos finos e gentis, seus seios ja expostos eram tocados por suas proprias maos. Um dos dedos escorregou para seu cuzinho, sua respiraçao falhou por um momento, seu corpo sentiu uma explosao interna e gozou...

Lunna deu um belo sorriso e arrumou sua roupa e de sua parceira, logo depois deu-lhe um beijo lhe trazendo seu proprio sabor. Por um momento Camila nao queria olhar para Lunna mas logo foi envolvida pelo olhar carinhoso. Camila nao tinha palavras e nem queria ter mas olhou para Lunna com ternura tocou seu rosto e disse que precisava mais disso, muito mais e o quanto antes melhor.



2 comentários:

  1. Que delicia!
    Visitem nosso blog, obrigado!
    http://amorpoliandrico.blogspot.com/?zx=c8c288baa5c31c1

    ResponderExcluir
  2. Olá amigos, sou o Paulo: negro, 37 anos, bem dotado na grossura, experiente com casais e discreto.
    Busco aventuras com casais experientes e também posso ajudar com os iniciantes. Sou bem liberal, e adoro realizar fantasias do casal.
    Sou de São Paulo capital.
    Contato: paulobraz78@outlook.com

    ResponderExcluir