sexta-feira, 9 de setembro de 2016

FAZ O QUE VOCE QUISER

Em meio a minha correria do dia a dia, tão comum e programável como os de todos eu seguia sem me preocupar com as coisas, mas algo naquele dia o tornaria diferente. Já estava em casa olhando o celular conversando no zap com o grupo e vi que tinha uma mensagem de um amigo. Sim, no passado já tínhamos tido noites inesquecíveis, mas hoje compartilhávamos de uma amizade sóbria porém sempre com alguma malícia que sempre envolvem amigos coloridos. Porém este não foi o caso quando me deparei com a mensagem com caixa alta.

- COMO ESTÁ VESTIDA, E O QUE ESTÁ OUVINDO? Entrei no jogo pois sabia o que significava... - Visto um baby doll rosa com lacinhos e no momento toca no pc Chet Faker - I´m Into You Logo após citar o que eu estava ouvindo recebo a mensagem de voz: - I find it harder to ignore, The things i want you for... Me arrepio só de imaginar quais seriam as coisas para qual ele me queria, e não eu jamais poderia ignorar o áudio recebido de C. Então perdida em meus devaneios recebo a pergunta...

 - AINDA SE DEPILA COMPLETAMENTE? - Sim - Respondo em resignação... - ENTÃO AGUARDAREI DUAS SEMANAS ANTES DE TOMAR TEU CORPO, ATÉ LÁ APENAS AXILAS E PERNAS PODEM SER DEPILADAS. QUERO ASPIRAR O ODOR DE TEUS PELOS NEGROS.

 Como ele pode chegar me dando ordens? Nem sabe se quero entrar neste clima de dominação... Abruptamente, respondo: - O que te faz pensar que desejo um mestre? - Simples minha querida, se não desejasse na minha primeira pergunta não teria me dado tão prontamente uma resposta tão rica de detalhes, estou errado? Tomada pela onda de obediência, respondo em áudio. - Esta, encontra-se feliz a te pertencer...

 - ATÉ QUE TE TOQUE NÃO QUERO QUE SEJAS TOCADA POR NENHUM OUTRO, SENTIREI EM SUA PELE O CHEIRO E SEUS OLHOS NÃO SE RECUSARÃO EM ME DERRAMAR A VERDADE MESMO QUE TEUS LÁBIOS OMITAM.... -Sim... A semana seguiu tranquila e meus pelos pubianos cresciam formando uma mata negra em torno da minha fresta, deixando a amostra apenas meu clitoris pois o mesmo tem a forma delicada de uma flor marcante. Eu ansiava nosso encontro, desejava toca-lo e servi-lo...

Se era detalhista com o ambiente, odores, sabores e música o que deixa por vários dias sua presença no corpo daquela que o serve. No momento eu sabia que estava em uma relação baunilha de cunho social, mas seu lado animal dominador poderia até permanecer em repouso mas ao me procurar sabia que precisava sair para o sol... Me comportei como ele me pedira, intocada, casta, preparava a pele do jeito que ele gosta de tocar, fugi do sol como uma vampira... Ele não me procurou mais a partir da semana que se seguiu, mesmo sabendo como me portar não me comportei como deveria confesso. Fim da tarde de segunda-feira mensagem no celular...

- AMANHÃ TE ESPERO EM NOSSA CAFETERIA PREFERIDA ÁS 17:20, QUERO AQUELE VESTIDO PRETO, CABELO EM RABO DE CAVALO, OLHOS BEM MARCADOS. Respondi apenas o que ele queria ouvir, "sim" Vim trabalhar com o vestido preto como havia me ordenado, perto do fim do expediente acertei a maquiagem como ele tanto gosta, cílios bem alongados, sombra num tom de cinza esfumaçado que dava o toque do deliniador formando o puxado do olhos de gata no cio. Na boca o batom mate rosado e blush rosa orvalho. Perfume Paris Elysees, o rabo de cavalo bem preso com alguns fios soltos emoldurando o rosto. Sim me senti muito sedutora e sorri diante do espelho do escritório antes de sair para encontra-lo...

 Chegando no café o vi sentado e me fez sinal, na boca seu sorriso de canto me mostrando a satisfação de me ver misturada ao clima tenso que precede ao jogo de palavras... Sentamos frente a frente e aproveitei que ainda podia olhar seus olhos e contemplei o amendoado brilhante e quente. Trocamos algumas saudosas lembranças enquanto tomávamos o café e me veio com o tema direto ao ponto. - Seja minha protegida, de a mim seu corpo e sua obediência.... Aceitei com a cabeça e sabia que a partir dai apenas poderia contemplar seus longos dedos e vislumbrar a pedra do seu anel. Pagou a conta e me indicou a saída, entramos em seu carro e fomos ao motel...

Ao entrar no quarto sabia como agradar meu senhor, me dirigi ao banheiro e tomei o banho com a água mais quente... Tirei toda maquiagem, cabelos soltos e molhados, repeti o perfume no pescoço, pulsos, coxas, pelos pubianos. No quarto tocava a seleção de música que ele cuidadosamente havia preparado, começando por Cigarrettes After Sex. Sorri ao ouvir e delicadamente deixei a toalha cair para seu deslumbre. Me olhou e tirou a blusa de botões... Andou em volta de mim e afundou o nariz em meu pescoço e deu uma gargalhada que me tremeu a alma... Me segurou forte pelo cabelo puxando para trás fazendo encara-lo nos olhos.

 - Apenas para ter certeza vou lhe beijar e após isso quero que me responda com verdade, certo? Acenei que sim com a cabeça e então me beijou. - Esteve com outro homem? Antes mesmo que eu respondesse, afastou minhas pernas e penetrou dois dedos em mim. Neguei... Me olhando nos olhos, levou os dedos a boca e chupou... Novamente o sorriso de canto de boca e um sinal de aprovação com a cabeça. Me pegou forte pelos braços e me jogou na cama. - Mas beijou outro que não eu. Não tinha ideia de como ele sabia disso, mas sabia e não menti. Sentou-se ao meu lado e mandou que eu deitasse por suas pernas...

 - Por ser uma menina levada, aplicarei sua punição. A mão pesada em minha bunda marcando as nádegas alvas, 1...2...3...6...10 palmadas fortes e bem aplicadas. Me tirou de suas pernas e fiquei de joelhos a sua frente... Mostrava-me o pênis ereto e se masturbava. - Você quer? Acenei que sim. - Não o terá, não é digna... Masturbou-se até gozar em minha boca e me permitiu beber seu gozo quente. Me vendou e me deitou na cama, chupava meus seios e mordia os bicos... Doía mas ao mesmo tempo era excitante... Abriu minhas pernas cheirou meu pelos como quem cheira uma rosa.

 - Quero teu mel! Chupou minha buceta de forma deliciosa e eu ia me desmanchando, era impossível não gemer... Arfei, e me desmanchei loucamente! Me penetrou com algo que não era os dedos nem seu pênis, no inicio senti dor mas depois era gelado e prazeroso, meu corpo tremia com espasmos incontroláveis e gozei como nunca sentindo a língua quente



dentro de mim. Após sorver meu mel, deitou o corpo sobre o meu me tirando a venda... - Sua sorte é ter o gosto mais saboroso que já provei, pois se não fosse isso teria deixado você de castigo por alguns dias antes de te provar. Não ache que tua punição leve aqui aplicada hoje está paga, fiquei furioso em saber que outro provou teus lábios... Aninhou-me em seu corpo e dormimos por algumas horas antes de voltarmos ao mundo dos mortais.

Alma das Rosas
veneno erotico

SERA' ?

Sou casado há 10 anos, estou atualmente com 40 anos e minha mulher com 34. Moro em Brasília e trabalho em uma empresa que está desenvolvendo um projeto e ultimamente tenho ido muito ao Rio de Janeiro, onde normalmente fico hospedado no bairro de Copacabana.

Como minha mulher estava de férias naquele mês e coincidentemente eu teria que voltar ao Rio e ficar por lá por uns quatro dias, ela perguntou se podia ir comigo, respondi que sim, desde que as despesas fossem pagas à parte e expliquei para ela que não teria tempo, durante o dia, de passear com ela e perguntei se ela iria levar nosso filho pequeno com três anos e ela disse que não pois sua mãe ficaria com ele.

Chegamos ao Rio e fomos direto para o Hotel, que ficava a aproximadamente 800 metros da praia. Como ela já conhecia a cidade me disse que mais tarde iria visitar a orla e que eu não me preocupasse.

À noite, resolvemos sair para nos divertirmos e depois de muita bebida num bar da orla, resolvemos voltar para o hotel caminhando e ao passarmos em frente a uma espécie de boate, olhamos um para o outro e, como estávamos meio alto pela bebida e minha mulher, desde que chegamos ao Rio estava muito excitada, resolvemos entrar. Ao adquirir os ingressos, fomos orientados que se tratava de um clube de mulheres e homens só podiam entrar acompanhados com uma ou mais mulheres.

Entramos e de cara tivemos uma surpresa. Os garçons e demais servidores da casa só usavam sunga e gravatinha borboleta no pescoço e quase não tinha homens como fregueses e, no palco, que ficava no meio do salão e em posição um pouco mais elevada, rolava um show de sexo explícito entre uma mulher e dois homens.

Minha mulher ficou um pouco sem graça mas notei que estava curiosa e super excitada, então resolvemos procurar uma mesa em lugar mais reservado e chamamos o garçom, que chegou de pau duro sob a sunga, talvez porque estava assistindo ao show. Pedimos bebida e notei que minha mulher não tirava o olho de seu cacete duro. Quando o garçom se retirou, começamos a nos agarrar, enfiei a mão por debaixo de sua saia e meti o dedo na sua bucetinha que já estava encharcada de tanto tesão. Ficamos ali, bebendo, assistindo ao show e nos beijando e masturbando um ao outro. A certa altura, algumas mulheres, já altas pela bebida, começaram a agarrar os garçons e os atores do show desceram do palco, juntamente com vários outros homens, todos nus e começaram a dançar entre as mesas punhetando seus cacetes duros.

Minha mulher já não se agüentava mais de tanto tesão passava a mao na minha perna e eu coloquei a mao dela por cima do meu pau, nao me contive, levantei um pouco sua saia e enfiei meu dedos na borda da sua xana, estava molhada, meus dedos escorregaram para dentro. Nisso dois rapazes se aproximou e começou a acariciar seus cabelos. Ela ficou um pouco assustada, olhou para mim e, esperando um sinal se eu aprovava as carícias, nao respondi mas fiquei apenas olhando,um dos rapazes passou sua mao pelos seios dela e outro chegou com o pau bem perto dela, ela segurou no pau do cara, por um instante eu pensei que ela fosse chupar, mas nao, ficou ali apenas alisando. Meus dedos a bulinava.


Passado alguns minutos, os dois tiveram que sair para atender outras mulheres que naquela altura estavam todas fora das mesas, umas dançando, outras agarrando os homens que se espalhavam pelo salão. No momento em que os rapazes estavam acariciando minha esposa, o que estava sendo masturbado por ela lhe entregou um cartãozinho, ela disfarçou e o guardou na bolsa.

Já estava ficando tarde e o clima estava esquentando, já tinha mulher transando com mulher, com os garçons, com os rapazes do show e outras tantas se masturbando, resolvi chamar minha mulher para irmos embora, antes que alguém a fudesse ali mesmo, na minha frente. Ela não impôs resistência, e fomos para o hotel. Após um banho, fomos para a cama e começamos uma foda de arrepiar, onde eu falava para ela imaginar que era o rapaz que ela tinha masturbando no clube quem a estava fudendo.

Ela gritava de tanto tesão e dizia que estava arrependida de não ter dado para ele, que achou ele um gato, seu pau era grosso e duro como rocha... Gozamos como nunca e caímos no sono.
No outro dia tive que acordar cedo, pois tinha que ir trabalhar e deixei minha mulher dormindo, depois de mais uma foda gostosa, apesar de estarmos de ressaca e com muito sono. Só retornaria após as 19h, visto que o local que iria era na Ilha do Governador.

No trabalho, fiquei visualizando as cenas da noite anterior e me lembrei do cartãozinho que o rapaz que minha esposa masturbava lhe deu. Fiquei preocupado, será que ela iria ter coragem de ligar para ele? Meu coração disparou, já era 11h, peguei o telefone e liguei no seu celular. Ela atendeu e perguntei onde ela estava e ela respondeu que estava na praia tomando sol. Às 14h liguei novamente e ela disse que estava no Shooping almoçando. Fiquei intrigado, pois na foda, assim que chegamos do clube, ela tinha ologiado o rapaz, dizendo que ele era um gato, charmoso e que tinha o pau grosso e duro. Será que ela iria ter coragem de me por o primeiro par de chifres?

Por volta das 19h cheguei e ela estava de banho tomado e perfumado, dizendo que estava louca de tesão e foi me jogando na cama, tirei minha roupa e começamos mais um foda alucinante. Ela estava diferente, trêmula, ofegante, com um apetite de sexo que já mais tinha visto nos nossos dez anos de casamento. Não tive coragem de perguntar sobre o cartãozinho e hoje me fico a perguntar se ela me traiu com aquele rapaz...

CLUBE DE CAMPO VAZIO

  Faziam dez dias que tínhamos sido convidados para irmos conhecer um clube de campo que iria ser inaugurado no mês seguinte, situado a apenas 30 minutos de nossa cidade, Salvador, temos eu 46 anos e ela 36. Vivenciamos todas as formas que podemos nos expressar em plenitude nossa sexualidade, incluindo fantasias e experiências realizadas, bonitos e bem cuidados, sabemos nos seduzir em locais públicos e incomuns.      


 Lá nos fora informado que teríamos área verde, piscina, campos gramados e espaço para laser e relaxamento, certamente nossas mentes estariam voltadas ao inusitado e principalmente por que fomos avisados que não haveria ocupação do mesmo por hóspedes, isso indicaria que estaríamos sozinhos no local, sem interferência de terceiros, detalhes que tornariam a viagem ainda mais interessante.      

 Chegando lá tivemos a surpresa em saber que nem mesmo o gerente se encontrava, fomos recebidos por um empregado que nos deixou muito à vontade para conhecermos todo o local, imediatamente ficamos relaxados e nos tornamos parte daquela paisagem que nos deixava intimamente excitados.      

Campo, área verde, piscina e tudo o que esperávamos daquele paraíso na terra, deixamos de lado a companhia do empregado e fomos conhecer os espaços movidos pela nossa própria curiosidade, que digamos estava bem aflorada, neste momento passamos a andar pelas instalações e encontramos uma sala de reuniões com cerca de 50 lugares, bastante ampla porém com móveis, cadeiras e instalações pouco arrumadas, ali mesmo nos deparamos com uma sala menor que dispunha de cadeiras extras, imediatamente nossos olhares percorreram o lugar e fomos tomados por um desejo de , ali mesmo começarmos nossa aventura de troca de carícias ou algo mais.     

   Foi o que aconteceu, Estela, sabendo que bastava estarmos em um lugar sozinhos, com pouca circulação de pessoas, para que pudéssemos realizar nossas fantasias, neste momento num rápido movimento, abri o zíper de meu short e mostrando meu membro parcialmente duro e latejante para ela, que descobri o quanto ela se excitava com aquelas situações inesperadas e surpreendentes.     

    Estela sentou-se numa das cadeiras e sugou inicialmente a cabeça de meu membro circulando sua lingue quente e úmida em volta dele, com isso nossos momentos de desejo aumentaram cada vez mais, sem nos preocuparmos com quem poderia chegar ou mesmo chamar pelos nossos nomes, continuamos sendo sugados um pelo outro, demoramos alguns minutos com ela me chupando e eu coloquei minha mão por dentro de sua bermuda, fazendo com que ela empinasse sua bunda para traz, tentando e conseguindo abrir um dos botões, ela imediatamente facilitou o movimento e já estávamos com sua calcinha baixada até o joelho, daí para uma penetração em pé foram alguns segundos, posição esta que Estela adora e a deixa entregue completamente, nesta penetração nosso estado de desejo um pelo outro só aumentou, após este delicioso momento, nos recompomos e fomos conhecer os outros locais.  
     Particularmente eu estava interessado em visitar um dos apartamentos do local, por motivos óbvios, falamos com o empregado e ele prontamente nos informou que o apartamento 11, número que ficou marcado para sempre, estava aberto e que poderíamos visitá-lo, prontamente não pensamos duas vezes, estávamos lá dentro do apartamento 11, com a porta aberta ficou fácil nossa entrada, eu fui a frente e através de um rápido olhar percebi o clima de tesão que aflorava em mim e nela, sabíamos o que iria acontecer, porém neste apartamento estávamos bem mais perto do funcionário, mesmo com uma certa distância, e que isso nos excitava ainda mais.  

   Circulamos alguns segundos pelo apartamento todo e entrando no banheiro deste, me escoro no balcão de mármore e retiro mais uma vez meu membro pra fora, agora com uma ereção ainda maior, que se completou quando ela, sabendo de minha intensão, ficou de joelhos na minha frente e chupou longamente meu pau, sem nenhum receio minha mão mais uma vez encontrou sua buceta muito molhada, ainda da experiência anterior, na minha mão ficara o aroma maravilhoso do gozo silencioso que ela emitia,  seus peitos estavam com os bicos todos empinados e rígidos, neles passei meus dedos fazendo com que ela desse alguns suspiros e com isso engolisse toda a saliva de sua boca, desejaríamos que aquele momento, dela me sugando, se estendesse ainda mais, porém passados alguns minutos tivemos que sair do apartamento, por que poderia denotar que estávamos demorando muito.  

       Fomos abordados pelo funcionário do clube que nos falou que poderíamos usar a piscina a vontade, já que estávamos de roupa de banho, tiramos ali mesmo no deck da piscina e mergulhamos para nos refrescar, em seguida o funcionário nos informou que iria se ausentar dali para realizar uns serviços em outro local, para nossa alegria ficaríamos sozinhos na piscina.  

      Imediatamente peguei a mão dela e a fiz perceber o quanto eu estava com uma ereção enorme que já não cabia dentro do meu short de banho, pus meu membro pra fora e a fiz sentar no meu colo, ela com suas coxas grossas, e uma bunda bem torneada, sentara em meu como encaixando a cabeça de meu pau na entrada de seu sexo, em seguida percebi o volume que seu clitóris apresentava através daquele contato, ficamos observando se alguém aparecia e como estávamos mais à vontade, a penetrei profundamente, já que a posição favorecia uma introdução lenta e plena.    

     Neste momento percebi que Estela tremia sem parar, repetindo uma frase que ela sempre fala nestas situações:    

    - Não tem como continuar, não estou aguentando mais!       

 Com isso que ela falou, fomos ?? usar?? o banheiro da piscina para ficarmos mais à vontade e nos trocarmos, não demorou muito e já estávamos dentro do minúsculo banheiro que somente daria para uma pessoa, porém estávamos os dois lá dentro, excitadíssimos com o desejo de nos comermos um ao outro. Neste banheiro, por ser tão pequeno e não ter área de circulação, me posicionei deitado no chão para que ela cavalgasse em cima de meu pau, encaixando-se sentada numa penetração deliciosa, com ela ainda ensopada de seu líquido, fazendo com que eu percebesse que ela engolia meu pau com sua buceta de uma só botada.      
   Permanecemos naquela posição e vorazmente estávamos em um  vai e vem sincronizados, sentimos que o gozo estava cada vez mais perto, e Estela não se continha dentro do seu corpo, com isso fiz o que ela sempre me pede para não fazer, dei beliscões de leve no bico de seus seios fazendo com que ela ficasse cada vez mais contraída e na eminência de gozar em cima de mim, foi o que aconteceu, raramente vi um gozo de Estela tão intenso e demorado, deixando-a ainda mais trêmula do que quando sentou-se em meu pau, após derramar seu gozo pelas minhas pernas ela levantou-se sabendo o que eu mais desejara, sentou-se na bacia do banheiro ainda tremendo e pediu:  
 
   - Goza na minha boca!      

 Posicionei-me a sua frente, introduzi meu pau em sua boca e não demorou dois minutos para que ela sugasse todo meu leite, despejando cada gota em sua garganta num gozo que ficará em nossa história, nos recompomos mais uma vez e saímos com nossos rostos aparentemente normais, mas sabíamos que dali por diante aquele local seria marcado pela nossa imaginação.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

GOSTARIA MUITO DE AGRADECER A TODOS E TODAS QUE ENVIAM SUAS FOTOS - CONTOS - E ATE VIDEOS - SAO MUITOS MESMO

AGRADEÇO PELA CONFIABILIDADE E QUE CONTINUEM ENVIANDO, QUE AOS POUCOS VOU POSTANDO NOS CONTOS E NAS OUTRAS AREAS DO BLOG.

MUITO AGRADECIDO MESMO


SUGESTÕES...

ENVIO DE CONTOS ...

ENVIO DE FOTOS...

ENVIO DE VÍDEOS...

OU APENAS BATE PAPO

EMAIL - bdscontos@gmail.com

ESPOSA SE REVELOU PUTA EM LAS VEGAS

Sou personal trainer, 1,88 e 77 kg. Ela, médica, uma mignonzinha, de 1,61, 50 Kg, toda saradinha Após 4 anos de namoro resolvemos nos casar. Eu com 27 e ela com 24. Sempre fomos um casal muito safado e sempre fantasíavamos outras pessoas na cama com a gente.. Mas tudo ficava só no pensamento. O Máximo que tínhamos feito era pagado uma garota de programa para nos ver transando enquanto tocava um siririca e um vizinho que um dia nos assistiu ao vivo. Mas a vontade de realizar de verdade nossas fantasias ficava cada vez maior.

Resolvemos então nos casar e passar a lua de mel em Vegas. Afinal, o que se faz em Vegas fica em Vegas.
Combinamos que iríamos fazer tudo que quiséssemos, afinal era a nossa chance em local que ninguém nos conhecia e que nada era proibido.
No primeiro dia fomos a pool party do nosso hotel. Estava ótima. Muita bebida e gente bonita. Coversamos com várias pessoas e com um casal da Espanha, que nos indicou um strip club de alto nível, qua já haviam ido várias vezes. Depois conhecemos 3 brasileiros, que estavam só na farra. Eram da faixa dos 25 anos, pareciam bons vivãs e estavam solteiros, para putaria mesmo. O Rafael, Tiago e Breno. Conversamos bastante, contaram das putarias que já tinham feito em Vegas. Minha mulher parecia muito interessada e conversava sobre o assunto normalmente com eles, algo impensável no Brasil. O Rafael falou que na noite anterior tinha levado uma russa para o quarto e metido muito, mas quando foi comer o cuzinho dela, ela não deixou, falou que o pau dele era muito grande. Todo mundo riu e os outros 2 falaram que é fria comer mulher junto com ele, já que ele tem uma pica enorme. Minha esposa ouvia e ria da situação. Parecia gostar do papo.

Eles estavam no mesmo hotel que nós e falaram o número do quarto para nos comunicar.
A noite fomos ao strip club indicado pelos espanhóis.Chegamos lá e era muito bom mesmo. Só gente bonita, jovem e excelentes shows de strip e sexo.

Ficamos bebendo e vimos vários casais, que pagavam as mulheres para dar um sarro ou fazer uma brincadeira. Do nosso lado estava um casal muito bonito brincando com uma delas. Deram 20 dólares para ela dar um amasso no cara e passar a brincar com o pau dele. Depois disso, os 2 ficaram muito excitados e dava para ver a mulher tocando punheta para o cara e ele metendo os dedos na xaninha dela. Minha mulher estava com muito tesão. Não tirava os olhos do pau do cara.

Eles então Notaram que minha esposa não tirava os olhos deles. Então chegaram mais perto e falaram se ela não queria brincar um pouco. Ela disse que sim e eu concordei. Na mesma hora ela comecou a beijar o pescoco do rapaz e passar a mao no pau dele. O cara era pinta, parecia ter uns 30 anos e ela tb. Eram do Canadá. Minha mulher Comecou a beijar o sujeito e tocar uma de leve para ele. Fiquei doido, mas logo a mulher dele veio retribuir…Me deu uns beijos e pegava firme no meu cacete. Ficamos nisso uns 5 minutos até que ele gozou na mão da minha esposa. Então resolveram ir embora. Falaram que estavam doidos para transar e foram embora. Ficamos meio decepcionados, principalmente minha linda esposa que tinha gostado do cara…..Achou que ia realizar a fantasia com ele.

 Mas ficamos com muito tesão. De repente vi uma garota de programa linda e a chamei. Paguei uns dolares e ela ficou me dando uns amassos enquanto minha esposa me punhetava. Perguntei quanto era para sair dali e ela nos cobrou 150 dolares. Resolvemos ir para o hotel. Estavamos com muito tesao e metemos os 3 a noite inteira. A posiçao que mais gostei foi ela sentada no meu cacete de 18 cm e minha esposa rebolando a xana e a bundinha na minha cara. No final gozei nas duas e fiquei realizado. Ela ainda deu uma brincada na bucetinha da minha esposa, algo que nunca pensei que ela fosse topar. Ela ficou com mt tesão e gozou rapidinho na boca dela. A mulher sabia o que fazia, era profissional.

Dormimos e acordamos no dia seguinte já meio tarde. O tesão era tanto que fomos logo meter mais. No meio da transa minha esposa falou que hoje era o dia dela, de arrumar um homem para come-la junto comigo. Fiquei com ciúmes mas era o combinado e mais que justo.
Falei que iriamos em outro strip club e lá ela podia escolher um cara para ir para o hotel com a gente. Ela disse que queria um com a pica bem grande…

A noite, antes de sairmos, ela começou a me pagar um boquete e veio falando: bem, e se arrumassemos um cara aqui no hotel mesmo, sem pagar nada. Eu falei: tudo bem, mas é difícil….
Ela disse: lembra do Rafael? Disseram que o pau dele é grande, ele é lindo, tem um corpão, inteligente, simpático… gostei dele.. além disso, ele ficou me secando na piscina e quando vc saiu de perto, me fez altos elogios…
Confesso que o cíume e a raiva foram grandes, mas valia a pena realizar a fantasia da minha esposinha..
Então disse que tudo bem, que podia ligar para o quarto dele.
Ela me perguntou se eu tinha certeza e se depois não ia ficar com ciumes bobos. Nem pensei direito e concordei….

Ela logo pegou o telefone. Eles estavam no quarto prontos para saírem para a noite. Ela disse: Oi Rafael, é a Amanda, lembra? O que vai fazer agora? Obrigada… vc tb é lindo.. quem sabe.. acho que pode ser… Tb gostei de vc…. Minha nossa…. Porque vc não vem no nosso quarto para brincarmos um pouquinho? Mas vem sozinho… Não sei… só se meu marido deixar e vc me conquistar…
Aquilo me deu um frio na barriga, mas em 5 minutos lá estava o Rafael. Chegou com uma cara de safado e começamos a beber. Contamos o que tinha ocorrido no dia anterior e nossos planos para lua de mel. Ele ficou de pau duro e mostrou por cima da calça. Minha esposa, já muito safada, disse: meninos, pq não tiram a roupa e ficam mais a vontade?
Ela disse: Vou contar um sonho que tive ontem com vcs 2, e podem tocar um punhetinha com o que vou falar.

Ficamos pelados e de pau duro. Minha esposa começou a contar o que tinha imaginado fazendo com nós 2: Primeiro chupava muito a pica do rafael enquanto vc, maridinho, chupava minha buceta e meu cuzinho. Ela já estava meio bebada ….. Meu pau nunca tinha ficado tão duro. E ela fala: nossa Rafa, seu pau é muito grande, não vai caber dentro de mim. Nunca vi um desse tamanho.
Era grande mesmo. Devia ter uns 25 cm. Nisso ela começa:… acho que não vai ser possível realizar minha fantasia, queria as picas de vcs dois dentro da minha xaninha, de uma só vez. … acho que vou chamar é outro colega seu, Rafa. Ela falava nisso num tom provocante… nisso estava só de calcinha e não nos deixava encostar nela. O Rafa então implorou para ela. Queria ficar e disse que ia ser paciente, cuidadoso para realizar a fantasia dela.

Ela disse que ia pensar e que ia nos contar umas histórias. Que não era para termos pressa, afinal a noite era uma criança e era nossa. Disse que resolveu contar as histórias de putaria que já tinha feito. Sempre fantasiou contar para mim, mas nunca teve coragem. E que a hora havia chegado.
Iniciou falando que sempre foi muito safada. Adorava um pau grande e gostoso. Melhor ainda se a porra fosse gostosa. E que só parou com as putarias quando me encontrou. Que se apaixonou por mim e que eu a realizava completamente. Tínhamos muita cumplicidade até na hora de expormos a nossa fantasia mais secreta e os desejos mais proibidos.
Disse ela: Vou contar um segredo que meu marido não sabe. Já realizai esta fantasia uma vez e foi mt bom. Sabe o Marcos, amor. Aquele carinha com quem ficava antes de te conhecer. Uma vez saí com ele e um amigo dele que eu era afim.

Aquilo me deu ciumes e tesão ao mesmo tempo. Sabia que ela era meio safadinha antes de ficarmos. Conhecia uns 4 ou 5 caras que haviam ficado com ela e desconfiava que haviam comido. 3 eu tinha certeza, pelas msgs que um dia, sem querer, acabei vendo no celular dela. Mas nada mais…

Ela começou a contar como foi. Fiquei curioso e deixei ela falar tudo: pois é, amor. Vou te falar. Sempre fui uma putinha. Desde que perdi minha virgindade aos 15 anos, adorava dar pros caras bonitinhos que ficava. Dei muito. Sabe o Fernandão, meu amigo da Faculdade. Dei pra ele umas 3 vezes. Sabe o Celo, nossa, o Celo é mt pintudo. Ele traía a namorada dele direto comigo. Só parei de sair com ele quando comecei a dar para vc. Na semana que dei Pro MArcos e o amigo dele ( o Luiz Felipe), estava dando para uns 4 na mesma época. Sabe o Fábio que malha com vc, pois é, já me comeu um monte de vezes tb. Ele tinha uma namoradinha de quem eu não gostava. Dava pra ele de sacanagem. Lindo, mas Ruim de cama que só vendo, se achava.

Saia com o MArcos, por causa dos meus pais, que eram amigos dos pais dele. A primeira vez que ficamos foi em Búzios, numa viagem de família. Éramos amigos e saímos juntos a noite. Fiquei com um carinha que tentou me comer, mas não dei. Ele ficou com um patricinha e tb não arrumou nada. Ficamos bebendos na praia depois da balada e rolou uns amassos, nada mais. Vi que ele tinha um pau pequeno, fiquei meio desapontada, afinal ele era o maior pegador, né? Mas depois disso, saímos umas vezes, ele me dava carona… rolou uns boquetes… a porra dele era gostosa, tinha que confessar. Mas sempre perguntava pelo Luiz Felipe, melhor amigo dele…

Ele me tentava comer, mas não conseguia. Um sábado a tarde ele me ligou. Dizia que ia fazer um churrasco e que ia pouca gente, entre eles o Luiz Felipe.
Resolvi ir. Chegeui lá e só estava ele e o Luiz Felipe. Inventaram uma desculpa, de que havia falecido a mãe de uma colega de faculdade, por isso ninguém mais foi.

Resolvi acreditar e dei corda. Começamos a beber e fomos para a piscina. Estava de biquini e eles de sunga. O Luiz Felipe parecia que tinha uma beringela entre as pernas. Ficava olhando disfarçada, mas o Marcos resolveu por pilha: Oh Amanda, tira os olhos do pau dele. Tá ficando chato, só pq o meu não é desse tamanho. Ri e resolvi entrar na brincadeira: a Lu, minha amiga que já ficou com vc disse que era grande mesmo, mas acho que pau é tudo do mesmo tamanho…

Aí o Luiz Felipe, muito sacana disse: para confirmar, só se eu mostrar.
Ri e disse: tá doido?? Ele então falou, acho que vou tirar a sunga, vc se importa? Disse que ele não era doido… Ele então tirou e ficou peladão, com o pauzão pra fora meio mole..
Fiquei doida e começamos a sacanagem. Me comeram de tudo que é jeito…
Depois saí com o Marcos mais algumas vezes, mas com o Luiz Felipe foi só aquele dia…. Depois começamos a namorar e parei de sair com o Marcos..

Para finalizar me contou uma história que me deixou meio ressabiado. Há um cara na Academia em que trabalho que não vou com a cara dele e nem ele com a minha. A mulherada dá mole para ele, tenho que admitir. Para minha tristeza fala minha esposa:

Amor, por último, tenho que confessar que já dei para o Leandrão. .. Era um sábado, tinha quase ninguém na Academia e ele era o responsável por fechá-la. Pedi ajuda em um exercício cadeira flexora e e ele segurou minha lombar. Mas meu rosto dava de frente para o pau dele. Fiquei meio ofegante e ele excitado. Quando vi, ele estava com um volume enorme na bermuda. Tomei um susto e ele mt sacana disse: desculpe, mas não tenho como segurar meus instintos… Fiz o exercício mais 2 vezes e ele encostava o pau da minha cara. Ele percebia minha excitação. No final ele disse, se quiser experimentar esse caralho, vai para o banheiro e me espera lá, no chuveiro. Assim fiz, todos foram emboram e transamos loucamente. Sei que ele era noivo, mas não resisti, ele era demais. Dei muito naquele dia…

Agora acabou a história. Chega de passado, vamos ao presente, disse a safada:
Então ela disse.: me dê um pouco dessa pica aqui na minha boquinha, Rafa.… ela ajoelhou em frente ao mastro do Rafael e começou a chupar e babar naquela rola… nisso, fui por baixo dela e comecei a chupar sua buceta e o cuzinho. Ela tava encharcada de tesão, como nunca tinha visto. Começou a gritar e gemer segurando na pica grande do Rafa e rebolando na minha boca. Rapidinho soltou um grito e gozou forte na minha boca. Deitou no chao e abriu as pernas, fechou os olhos e disse: vem Rafa, me rasga inteira: o cara foi enfiando o pau com uma facilidade naquela xana… logo estava enfiando até o talo…. Coloquei meu pau na boca dela e ela chupava com um tesão que nunca tinha visto…quando ela estava quase gozando, pediu: agora é a hora. Senta na cama Rafa. Ele sentou e ela sentou em cima do cacete dele, virada de frente para mim. Deitou um pouco as costas nele e pediu, amor enfia seu pau tb na minha xana.

Comecei a forçar meu pau tb… não estava cabendo, mas ela urrava de tesão…fui forçando mais e consegui colocar a cabeça, o pau do Rafa estava todo lá dentro…. Ela virava o olho de tesão e sua buceta foi abrindo… quando vi, estava os 2 cacetes todos lá dentro… incrível…. Ela urrava.. gritava…delirava… virava os olhos….ficamos assim uns 5 minutos e ela começou a gozar de uma forma descomunal…gritando muito mesmo... Aquilo nos levou a gozar demais tb… lambuzei a bucetinha dela toda, que a esta altura estava toda arregaçada. O Rafael gozou demais tb na camisinha…. Ela deitou e dormiu…. O Rafael foi embora todo satisfeito e eu tb de ter realizado nossas fantasias de modo tão gostoso, sigiloso e seguro.

Continuamos a meter demais nos resto da lua de mel, lembrando dos nossos casos… Foi demais. Nunca fizemos e nem vamos fazer mais, ficou só na lembrança e só de lembrar dá muito tesão nas nossas transas. Além disso, descobri que casei com uma mulher muito safada, que precisa de muita pica para ser feliz e fiel.


Autor: kasadinhos


VIAGEM A COSTA DO SAUIPE

Meu nome é Carlos Roberto, muita gente me conhece no site, sou uma pessoa normal já na faixa dos 40 e uns, trabalho com uma empresa conceituada no ramos de sonorização e iluminação de eventos e costumo prestar serviços em quase todo o pais.

No mês de março cheguei ao escritório d empresa e o meu sócio solicitou que eu fosse até a sua sala para uma reunião para resolvermos alguns negócios que precisa entrar em pauta com urgência, conversamos por cerca de duas horas e resolvemos que precisamos adquirir dois novos painéis de led de última geração, alguns equipamento de iluminação e também novos equipamentos de sonorização.
Depois de tudo acertado e com sinal verde para a realização da compra que fica sempre a cargo dele, já a mim cabe os alugueis em festas, baladas, exposições. Desfiles, festa de Peão e algumas palestras, me dirigiram a minha sala liguei o meu PC para ler os meus e-mails dentre eles havia um de um grande resort da Costa do Sauipe, que estava solicitando um orçamento para a realização de preço do aluguel dos equipamentos para a realização de exatamente uma semana naquele local.

Como o caso tinha certa urgência conforme escrito pela diretora de marketing da empresa, conversei com o meu sócio e ficou acertado que eu deveria viajar para á Bahia, imediatamente solicitei a minha secretaria que fizesse reserva em do resort, comprasse as passagens para o primeiro vôo pela manhã do dia seguinte e fui arrumar a minha bagagem e me preparar para a viagem.

Segundo o e-mail, eu deveria procurar a diretora de marketing chamada Dalva no Resort que eu vou omitir o nome porque ele é um dos melhores do local, no outro dia pela manhã me dirigi ao aeroporto de Cumbica e embarquei rumo á Bahia, quando cheguei me dirigi ao saguão do aeroporto e fui alugar um carro.
Imediatamente me dirigi ao Resort que havia feito reserva depois do chek inn na portaria do hotel me dirigi ao apartamento a mim destinado, tomei uma ducha e resolvi descer ao restaurante para um café e solicitar á alguém da recepção que me fizesse à gentileza de enviar um ramalhete de rosas vermelhas e amarelas e também uma bel orquídea para a Sra. Dalva, com um bilhete dizendo que eu estava na cidade e que se ela poderia e atender no dia seguinte, pedi que fosse enviado um cartão com o numero do telefone onde eu me encontrava.

Fui para o chalé que, aliás, era maravilhoso com a piscina bem defronte, salão de jogos, bar restaurante fiquei sabendo que durante a noite havia música ao vivo no local, agradeci ao funcionário que me deu as dicas dei a ele uma gorjeta e me dirigi ao meu chalé onde liguei o meu lep top para entrar em contato com o escritório para saber se havia algum recado.

Depois resolvi descansar e tirei uma boa soneca, acordei por volta das 13.30as, com o toque do telefone que atendi de imediato e me avisaram que a Sra. Dalva estava na linha e gostaria de falar comigo, depois dos comprimentos de praxe ela me agradeceu pelas flores e me perguntou se eu estaria livre á noite respondi que eu estava à inteira disposição dela que havia ido até lá para atendê-la da melhor forma possível e com resposta ela sorriu disse que então eu deveria ficar pronto por volta das 20 h, que ela iria me encontrar no saguão do Resort.


A noite chegou naquele lugar maravilhoso, por volta das 19,30 eu já estava pronto para encontrar com a Dalva que eu nunca tinha visto, mas a minha expectativa era saber o que realmente ela que queria contratar de minha empresa e quantos dias iríamos ficar no local.

Por volta da 20,15h, me avisaram que ela estava no saguão me aguardando, fui ao seu encontro esperando encontrar uma senhora dos seus 60 anos, mas quando ela se apresentou foi uma surpresa ela deveria ter uns 42 anos, uma mulata de mais ou menos 1,74 de altura, cabelo longos e um par de olhos fascinantes de um azul da cor do mar, provando a miscigenação de raça e um sorriso encantados.

Depois das apresentações, disse que estava a sua disposição para falarmos de negócios e a convidei para jantar enquanto conversávamos e ela sugeriu que ficássemos no restaurante do Resort, fomos até lá pedi uma mesa se possível em um local discreto onde pudéssemos conversar.

Depois de instalados, pedi uma garrafa de Royal Salut e para ela um champagne e então depois de servi-la perguntei o porquê ela ter entrado em contato com ma empresa de São Paulo para fazer o evento, quando ali na Bahia havia tantas empresas que poderiam tranquilamente atende-la, ela me respondeu que foi uma exigência do contrato realizado pelo promotor do evento onde estaria políticos e empresários de grande parte do Brasil para discutirem os problemas do país e que duraria uma semana este simpósios, pensei comigo vai ser um saco agüentar tantas palestras ma s se ela pagasse o que eu iria pedir tudo bem.

A conversa se estendeu por várias horas, sei que jantamos e bebemos e continuamos a conversar até acertamos os detalhes e ficou acertado que no outro dia eu deveria ir ao escritório dela para fecharmos o contrato, continuamos a nossa conversa com ela me dizendo que fazia muito tempo que não recebia flores tão lindas e que havia adorado.

Nestas alturas ela tinha bebido o champagne e resolveu me acompanhar no whisky, por volta de meia noite já estávamos íntimos claro que com a ajuda da bebida e eu resolvi arriscar em convidá-la para mais umas doses no meu chalé ela sorriu pensou e disse que sim, já dizendo que os paulista não perdem tempo quando estão com uma mulher, eu respondi que não queria forçá-la a nada e que se ela quisesse eu a levaria para a sua casa.

Mas como resposta ela pediu a chave do chalé agarrou em meu braço e nos dirigimos para lá, ela mesma abriu a porta entramos ela então perguntou se havia um Red. Bull no frigo bar para tomar com o whisky fui até lá abri o frigo bar peguei o energético coloquei em uma taça com a bebida entreguei a ela que sorveu tudo em um só trago em seguida perguntou se poderia usar o banheiro eu disse que sim que ela ficasse a vontade.

Ela demorou um pouco no banheiro e quando saiu estava enrolada na toalha dizendo que agora sim estava à vontade, servi a ela uma dose de bebida, ela me disse que tinha se separado já fazia mais de três meses que estava sem um homem para fazê-la gozar e que tinha adorado o presente que eu lhe mandei e ela queria retribuir da melhor forma possível e deixou cair à toalha deixando aquele corpo moreno a minha vista e meu cacete deu um pulo fui até ela e comecei beijando os seus lábios, seus seios e fui levando-a para a cama, coloquei – a deitada e fui calmamente explorando o seu corpo com a ponta de minha língua.

Aos poucos com muita calma fui me aproximando daquela xana lisinha e perfumada, passei a língua e depositei um beijo delicioso naqueles grandes lábios que também foram feitos para beijar, depois enfiei a língua sentindo ela toda molhada e pedindo para ser chupada, mordisquei o seu grelo e senti ela se contorcer e gemer de prazer.

Continuei a chupar aquela delicia até ela dizer que ia gozar pedi a ela que me presenteasse com o seu néctar, pois eu ansiava em bebê-lo, fiz com que ela gozasse umas duas vezes e ela então virou e ficamos em um 69 e ela abocanhou meu cacete e mamava com vontade, ficamos em uma preliminar onde pude explorar cada parte daquele corpo enfiar a língua e seu cu, quando ela sentiu a minha língua no seu buraquinho ela deu um grito de prazer e parece que ia enlouquecer foi ao sétimo céu e gozou muito.

Pensei que ela tinha desmaiado, pois ficou inerte por uns cinco minutos com os olhos fechados e a respiração ofegante depois calmamente abriu os olhos e me disse que ninguém nunca tinha feito o que eu fiz com ela, e que havia gozado como nunca em toda a sua vida, eu então disse quero você de quatro e ela prontamente se posicionou e pediu vem en

tra em minha buceta de uma só vez e foi o que eu fiz ela começou a rebolar e a gemer feito uma gata no cio dizendo que ia gozar até a sua xana ficar todinha inchada e disse que queria sentir o meu pau inteiro no cu, não me fiz de rogado e fiz o que ela me pediu acabei enchendo o cuzinho dela de porra, sei que caímos um ao lado do outro.

Depois de saciados acabamos dormindo, como o outro dia era um domingo dormimos até mais ou menos umas dez horas acordamos tomamos um banho e depois um café e passamos o dia juntos, curtimos a piscina do hotel e transamos muito, na segunda feira fui até ao local onde ela trabalha e acabei ganhando o contrato para a realização da sonorização e também uma baiana deliciosa que durante todo o tempo que eu lá estive me fez companhia.
Desculpem-me pelo conto longo. Mas os detalhes são muito importantes.

autor: CARLOS ROBERTO