quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Trai em um hotel de termas em Goias


A história que vou contar a seguir é real e aconteceu durante as férias de Julho no ano de 2010. Sou casada, na época, tinha 25 anos, tenho 1,75m, 65 kg, corpo malhado, já que adoro academia. Meu marido é um homem alto, mas não se importa muito com a aparência. Bonito mas descuidado.

Quando tiramos férias em julho de 2010, fomos viajar para o interior de Goiás. Ficamos hospedados em um termas maravilhoso. Aproveitamos bastante. Mas como já somos casados há muito tempo, não tenho mais o mesmo tesão de antigamente. Então, tipo, transar era meio que uma tortura. Até que uma noite dessas, depois do meu marido passar o dia bebendo (eu não bebo nada, talvez uma ou duas taças de vinho), voltamos para o hotel. Ele tomou um banho e como já estava mais pra lá do que pra cá, caiu na cama e dormiu. Sem nada pra fazer, resolvi dar uma voltinha pela área do hotel. Sem esperar encontrar nada que despertasse a atenção.

Mas que deliciosa surpresa. Ao passar por uma área que levava até a piscina, me deparei com um homem alto, moreno claro, músculos definidos (detalhe: estava sem camisa), me arrepiei inteira. O homem era simplesmente lindo. Mas tipo, eu nem me empolguei muito. Pensei: ?é muita areia pro meu caminhãozinho?. Pensamento de mulher mal amada. Mas o gato me olhou em nos olhos e me deu um sorriso de derreter os ossos, disse ?oi? e foi embora.

Eu continuei minha caminhada com o corpo fervendo. E fui me sentar a beira da piscina brincando com os pés dentro d?agua. Como a água era quentinha, resolvi entrar. Nadei um pouco me aquecendo naquelas águas transparentes. Depois de um tempo, me encostei na beira e simplesmente fiquei lá, parada de olhos fechados. Me espantei quando comecei a sentir um leve balançar da água, e quando eu me viro, quem acabou de entrar? O gato gostoso. Estremeci inteira. Ele nadou em minha direção e parou ao meu lado. Eu apenas olhei pra ele e acenei com a cabeça. Daí ele perguntou: ? o que faz uma bela moça, sozinha, há uma hora dessas numa piscina?? Ai, eu respondi que tava sem sono e que tinha resolvido passear. Começamos a conversar e descobrir que ele era recém separado e que tava lá pra afogar as mágoas. Eu contei uma parte sobre meu ?divertido? casamento. Nós rimos a beça. Foi muito bom. Me senti viva. Mas nessa noite, nada rolou. Combinamos de nos encontrar de novo na mesma hora, na piscina no outro dia.

Veio o outro dia, e como sempre, meu marido se botou a beber. Passeamos pela cidade e ele sempre com uma latinha na mão. A noite veio, e como na anterior, nós voltamos para o hotel, ele tomou um banho e dormiu. Tenho que confessar que tava rezando p ele pegasse logo no sono. Queria encontrar o Wagner (esse era o nome do gato). Desci e caminhei apressadamente para a piscina. Chegando lá, ele já estava me esperando dentro da piscina. Meu coração gelou. Eu nem acreditava que ele iria aparecer.

Tirei a roupa, fiquei só de biquíni e entrei na piscina. Conversamos e no meio da conversa, ele me convidou para ir ao quarto dele. Estremeci, afinal de contas eu sou casada e nunca tinha feito nada parecido. Acho que ele percebeu e me garantiu que não seria nada de mais. Acabei aceitando. Entramos no quarto dele e ele foi logo me oferecendo cerveja, dai eu disse que só bebia de vez em quando vinho e ele prontamente me deu uma taça. Parecia que ele tava realmente me esperando. Como eu tava toda molhada, ele me ofereceu uma toalha e também pegou uma pra ele. Nossa quase fervi quando o vi passando a toalha por todo seu corpo. Acho que ele percebeu meu olhar porque parou. Ele perguntou se eu queria tomar um banho e eu respondi que achava melhor não. Então, sem cerimonia, se direcionou para o banheiro. O pior, eh eu o banheiro tinha uma parede de vidro que dava para o quarto. Então acabei vendo ele tomar banho... Enlouqueci. Fiquei super vermelha. Mas não consegui tirar o olho daquela imagem. Ele era simplesmente lindo.

Quando ele saiu do banheiro, nu, somente enrolado na toalha, eu já estava decidida a ir embora. Me dirigi até a porta, mas ele rapidamente me segurou e me puxou pra mais perto dele. Nos beijamos. Um beijo intenso, voraz. Ele meteu a língua na minha boca com uma fúria. Eu me derreti. Aos poucos, ele levou as mãos até o meu pescoço e puxou o laço do meu biquíni. Nem tive forças pra recuar. Quando percebi, minhas mãos estavam tirando a toalha e agarrando seu pau que tava duro feito pedra. Que pau enorme. Fiquei com água na boca quando ele deu uma gemida. Não me contive e fui beijando ele até embaixo. Abocanhei o pau dele, chupando bem devagarinho da pontinha até a base, massageando suas bolas. Ele segurou minha cabeça e começou a bobear na minha boca. Não deixei ele gozar. Ele me levou até a cama e tirou o meu biquíni e começou a me beijar. Enquanto alisava um seio abocanhava o outro com lambidas e pequenas mordidas que me levaram a loucura. Eu gemia, me contorcia e ele aumentava ainda mais a pressão nos meus seios.

Ele se deitou e me puxou pra que eu sentasse na boca dele. Nossa nunca tinham feito sexo oral em mim naquela posição. Delicioso. Ele lambia, chupava minha bucetinha que a essa altura já tava gritando. Pedindo pica. Cheguei ao primeiro orgasmo. Mas ele não parou e eu queria mais. Ele enfiou um dedo bem fundo e depois outro. Me arregaçou bem. Enfiou sua língua num vai e vem maravilhoso.

Dai ele me abaixou e sussurrou no meu ouvido: ?quer mais sua putinha??, e eu respondi: ?quero?. E ele perguntou: ?o que você quer?? ?Eu quero pica. Me fode gostoso? eu respondi. E foi o que ele fez. Me virou de quatro e enfiou com força, sem dó. Enquanto eu gemia, ele socava com mais força. Depois diminuía o ritmo e voltava a meter com força. Me virou, levantou as minhas pernas e enfiou gostoso enquanto eu revirava os olhos num êxtase alucinante. Ele gozou forte, bem dentro da minha bucetinha que ficou toda meladinha. Fui para o banheiro e entrei no chuveiro. Ele veio atrás e já tava pronto pra outra rodada. Eu não recuei. Virei de costa e ofereci meu rabinho pra ele. Disse que nunca tinha sido comida e que adoraria dar pra ele. Mas pedi p ele ser carinhoso. Ele desligou o chuveiro e abriu bem minha bundinha, lambeu o dedo e foi enfiando devagarzinho. Depois enfiou outro e ficou brincando enquanto eu gemia feito louca. Ele cuspiu no meu cuzinho e massageou com o dedo a entrada e começou a enfiar a pontinha do pau dele. Eu senti uma pressão, mas relaxei. Ele foi enfiando bem devagar, com calma, até que entrou tudo e de leve começou a se mexer. Eu fui a loucura. Se eu soubesse que era tão bom, já tinha dado o cu antes.

Enquanto ele metia, acariciava meu grelinho num movimento constante, mas delicado. Eu gozei quase ao mesmo tempo em que ele. Foi simplesmente maravilhoso. Depois disso, tomamos banho, eu me vesti e voltei p meu quarto. Meu marido, óbvio continuava dormindo mas eu não consegui me sentir culpada. Estava até feliz, viva!

As férias acabaram e voltamos para a nossa realidade. Nunca mais voltei lá. Nem sei onde o Wagner mora. Não quis o telefone dele pra não haver nenhum envolvimento. Mas nunca esqueci aquela noite em que enfim, fui saciada, comida como toda mulher deveria ser.

6 comentários:

  1. "Nunca mais voltei lá. Nem sei onde o Wagner mora. Não quis o telefone dele pra não haver nenhum envolvimento. Mas nunca esqueci aquela noite em que enfim, fui saciada, comida como toda mulher deveria ser."

    Adorei esta parte final do texto, é deste tipo de mulheres que o verdadeiro fodilhão gosta, sem compromissos ou envolvimentos emocionais. É mesmo foder e andar.

    ResponderExcluir
  2. Ai ke inveja !!! Gostaria muito de ser comida agora!! ai ke tesão!

    ResponderExcluir
  3. Muito gostoso essa sua historia adorei

    ResponderExcluir
  4. Ai q gostoso to toda molhadinha e com tesao.

    ResponderExcluir
  5. Adorei. To com muito tesao e doida por uma pica bem gostosa....

    ResponderExcluir
  6. Também quero foder com outro

    ResponderExcluir