sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

CHIFRE TROCADO NAO DOI - Dei o troco

 
Dizem que chifre trocado não dói, então eu fiquei muito puta da cara quando peguei meu noivo com outra na minha cama, mas não ficou barato porque resolvi dar o troco, tudo aconteceu assim, eu namoro meu noivo fazem uns 5 anos já, praticamente moramos juntos porque eu durmo no apto dele fins de semana, tenho a chave, mas no meio da semana eu fico na casa da minha mãe, como eu já tenho quase 30 anos já sou bem independente, sou vaidosa, tenho um corpo bem cuidado, não sou do tipo filé mignon como a maioria se descreve, mas tb não sou nenhum bagulho, mas voltando ao relato, eu peguei meu noivo na cama com outra mulher e foi assim:

-Era uma terça feira, normalmente eu não ia ao apto do namorado em inicio de semana porque a gente já ficava juntos no fim de semana e não foi diferente só que eu tinha esquecido uma agenda que eu uso no trabalho e precisei ir busca-la depois do almoço, como eu tinha a chave do apto nem liguei pra ele, era só pegar a agenda e voltar para o trabalho, quando entrei percebi uns gemidos no quarto, me aproximei silenciosamente pra ver o que era, e vi meu noivo Jair com uma amiga minha  na cama que a gente dormia juntos, os dois nus, eu fiquei muito brava..., minha vontade na hora era pegar os dois no flagra e fazer o maior escândalo mas eu fiquei quieta, sai sem que eles percebessem... passei uma tarde muito ruim, pensava na sacanagem que ele tinha feito, e que ela a Claudia minha amiga tinha feito comigo, talvez fosse só sexo, mas eu nunca deixei eu noivo na mão em matéria de sexo isso me deixava ainda mais fula da vida,  e naquela tarde eu irritava-me por qualquer coisa e na minha mente fiquei só matutando um jeito de dar o troco, mas eu não queria uma vingança qualquer teria que ser algo espetacular... algo que ele jamais esquecesse, algo que o marcasse pra vida toda.

Passei a arquitetar um plano, resolvi que eu ia aprontar e tinha que ser com um de seus amigos, eu só estava esperando a oportunidade certa, passaram-se semanas, eu não disse nada continuei como uma noiva dedicada cheio de amores pra dar, até que num dia a oportunidade apareceu, quando eu e meu noivo fomos
a uma balada, chegando lá tinha 4 amigos sentados numa mesa, começamos a tomar uma cervejinha, papo vai papo vem notei que um deles não tirava os olhos de mim, parecia que queria me devorar com os olhos, olhava para o meu decote generoso, meus peitos que pareciam querer saltar da blusa, como eu percebi o seu interesse disfarçadamente comecei a dar bola pra ele e a incentivar suas fantasias, eu cruzava e descruzava as pernas na frente dele, quando tina oportunidade olhava fixamente no olhos dele, dava uma piscada outras vezes passava a língua disfarçadamente, e segui nesse ritual de sedução pra deixa-lo bem doido e desejoso de me ter, literalmente, então quando tive chance porque meu noivo e 2 amigos foram ao banheiro ficamos eu ele e outro que logo tb deu uma saidinha, então peguei uma caneta um papelzinho e anotei o numero do meu telefone e passei pra ele e disse baixinho guarda e me liga quando quiser, senti que ele ficou excitado.

Naquela mesma semana ele me ligou, seu nome era Mauro então começamos a conversar eu dava a maior bola pra ver se ele tomava a iniciativa, e tomou, convidou-me pra que fossemos tomar algo em algum barzinho eu aceitei e disse desde que n ão conte ao meu noivo, ele concordou, parece que todo homem tem uma fantasia secreta que é pegar a mulher do outro, e com isso a gente consegue manobrar, fui ao tal barzinho numa tarde, tomamos algumas cervejas, conversamos ele me convidou pra ir pro motel, eu falei que não que minha fantasia era outra se ele quisesse meter comigo só se ele topasse participar da fantasia, ele perguntou qual era a fantasia dai eu contei que era transar com outro homem na frente do meu noivo, ele ficou meio desconfiado e falou e seu noivo que acha disso, então manobrei a situação e disse, ele eu convenço, mas você não pode falar nada pra ele até o momento, você topa?? Ele entusiasmado topou na hora, então eu combinei com ele que seria no sábado próximo a tarde, combinei o horário que ele deveria chegar e disse não pode ser nem um minuto a menos, e nem um minuto a mais tem que ser uma pontualidade britânica,  a primeira parte do meu plano estava completo, agora eu teria que manobrar o meu noivo para eu conseguir meu intento, durante a semana eu retirei todas as minhas coisas sem que meu noivo percebesse.

Da sexta para o sábado sempre durmo no apto dele durante a noite ele queria bater o ponto eu dei uma desculpa e evitei transar com ele nesse dia, no sábado por volta das 3 da tarde tomei um banho me perfumei  entrei no nosso quarto coloquei uma cinta liga uma meia fumê um sapato de salto agulha, tudo isso para
esquentar o clima, e parti pra sedução, eu tinha meia hora para deixa-lo em fogo essa era minha intenção provoca-lo ao máximo deixa-lo em fogo, então entrei na sala onde ele assistia televisão, quando ele me viu de um assovio tipo esses de elogio quando a gente passa na rua e os homens mexem com a mulherada, pois ele rasgou-se em elogios a minha performance  ele tentou vir me abraçar eu afastei-o e disse hoje o show é meu querido, fica quieto sossega o facho, deixa que hoje eu tomo conta da situação, e comecei a domina-lo como num fetiche sexual, cada vez que ele queria me agarrar eu dizia não, não, e ele voltava quieto pro seu lugar, então eu envolvi um pano preto em seu pescoço, mais tarde iria ser usado como venda, e puxei-o se puxa um animal pela  cordinha , ele docilmente foi até a cama onde o despi, foi quando comecei a provocação despi-o todinho, deixei ele pelado como quem veio ao mundo e comecei a passar o meu corpo sobre o seu, a passar minha vagina sobre se corpo, seu pau estava duro que nem aço, eu passava minha vagina sobre a cabeça, ele queria penetrar-me, mas como numa sessão de tortura eu não deixava, ficava só naquela sacanagem, enquanto eu estava nessa sacanagem toda estava controlando o horário porque as 4 em ponto era para o Mauro aquele amigo dele chegar então eu completaria a segunda parte do plano que era transar com o Mauro na frente do Jair meu noivo só por vingança.

 Então eu habilmente conduzi meu noivo e amarrei as mãos dele na cabeceira da cama, e os pés dele também  ainda  faltavam 5 minutos para as 4 hs, eu estava contando que o Mauro fosse pontual, então comecei a esfregar-me no meu noivo, vendei-lhe os olhos, amordacei-lhe a boca de forma que ele ficou totalmente imóvel e sem poder falar nada, quando deu 4 horas em ponto a campainha toca, eu pego o interfone atendo abro o portão, mando ele entrar pela porta da frente que estávamos esperando no quarto, eu volto pro quarto e meu noivo sem saber o que tava acontecendo, amordaçado e vendado só poderia imaginar, mas ele nem imaginava que iria ver-me fodendo com um de seus amigos na sua frente, quando o Mauro abriu a porta viu-me toda sensual naquela lingerie preta e de salto, ele ia abrir a boca ´pra dizer alguma coisa quando eu me joguei em seu pescoço e beijei sua boca, começamos a nos abraçar e nos amassar, puxei uma cadeira mandei o Mauro se sentar então eu me encaixei nele e meu noivo lá resolvi então tirar a venda dele pra ele ver toda a cena, ele suava frio, notei pelos olhos dele que ele ficou muito irado e assustado ao mesmo tempo, mas ele não podia fazer nada a não ser resmungar porque estava amarrado e amordaçado minha vingança estava saindo melhor que encomenda, nem esperei nada sentei o Mauro na cadeira, tirei sua calça, abaixei sua cueca, seu pau estava durissimo, entao afastei minha calcinha de lado e sentei naquele mastro de frente para o meu noivo, eu fodia gostoso com o Mauro, alem da vingança eu estava tendo muito prazer, eu nem imaginava o quanto prazer eu poderia tirar daquela situação, talvez pela sensação do proibido, talvez pela sensação de estar dando pra outro e sentir outra piroca dentro de mim, só sei que eu gozei gostoso.

Meu noivo se contorcia, então resolvi chupar a rola do Mauro, abocanhei com vontade, chupei como se chupa um picolé num dia de calor intenso, fiz ele gozar na minha boca, até engoli um pouco de esperma, depois eu me deitei no chão já que na cama não dava porque meu noivo estava nela, e disse pro Mauro, vem seu cachorro, enfia seu cacete na minha buceta, enfia que eu quero gozar e ele enfiou, bombou muitas vezes, até gozar de novo mas eu ainda não estava satisfeita, queria serviço completo então arrebitei bem minha bunda me coloquei numa posição que facilitaria o seu trabalho e falei quero que me foda no cu, vem come meu cu, hoje sou sua vadia... essas palavras foram como viagra pra ele, ele nem ligava mais que meu noivo estava ali... enfiou aquele cacete em meu cu sem dó nem piedade que entrou rasgando-me, mesmo porque ele nem se deu ao trabalho de lubrificar nem que fosse com saliva, mas eu estava decidida na minha vingança aguentei firme sem reclamar, logo meu corpo se acostumou com aquele intruso dentro de mim e eu comecei a rebolar foi gostoso... vocês nem podem imaginar a sensação, eu estava fodida, mas satisfeita...Falei pro Mauro ir embora e ele ate se despediu do meu noivo.

Depois que terminamos fui até a cama e soltei a mordaça do meu noivo, pensei que ele ia me xingar esbravejar, mas notei que seu pau também estava duríssimo  em vez dele achar ruim aquela situação ele ficou foi excitado, mas eu não ia dar esse prazer a ele, desamarrei-o ele tentou me agarrar pra apagar seu fogo eu me neguei, e disse porque, falei seu cachorro lembra-se aquele dia com a Claudia aqui mesmo nessa cama, eu entrei vi vocês dois e sai de tão ocupados que estavam nem notaram, e essa foi minha vingança.

Depois disso me vesti, peguei minha bolsa e o deixei ali....  no dia seguinte meu noivo me procurou mas eu estava decidida a não dar mole, e deixei-o a ver navios...

2 comentários:

  1. olá adoro o seu blog,aproveito para deixar aqui o link de um livro apaixonante que eu descobri no Amazon.
    Faço minhas as palavras do autor:
    Um livro para ser lido debaixo das cobertas, com uma garrafa de vinho e em boa companhia,no caso do ambiente aquecer subitamente o autor aconselha o uso (se extremamente necessário) de acessórios.

    Sem dúvida alguma uma obra para maiores de 18, com uma linguagem forte que pretende fazer o leitor reviver as suas próprias experiências, ajudando-o assim a introspecção da sua vida sentimental e sexual.

    Amei....Amei...Amei...

    https://www.amazon.com.br/dp/B00HJE3FFW

    ResponderExcluir