segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

NA CASA DE SWING NA SALA DO GLORY HOLE



Era um dia normal para nos dois… fizemos sexo de manha e passamos o dia juntos mas no final da tarde nos desentendemos e ele foi embora, meio bravo comigo. Somos um casal explosivo… mas entre muito amor e brigas, descobri com ele como é gostoso ser safada. 


Ele e um homem de 36 anos, que sempre foi carinhoso e amigo. Em uma noitada regada a tequila acabei conhecendo outro lado dele. Sempre me perguntei se ele tinha pegada e nesse dia entre as escadas do hotel, a piscina e os nossos quartos, descobri que ele tinha. Em uma primeira noite bem quente, ficamos na maior pegacao, quando vi ele sem roupa fiquei cheia de tesao e chupei o pau dele por horas… ele me lembra ate hoje como aquele boquete foi bom.


Ficamos quase um mes sem se ver depois disso e pensei nele todos os dias. Entre a duvida sobre nos dois e o tesao que estava sentindo por ele, passei dias e dias refletindo e me masturbando com gemidos altos pensando naquele homem tao gostoso.


Quando nos encontramos novamente, entre pezinhos safados embaixo da mesa do bar e algumas ligações depois, fizemos sexo pela primeira vez e nunca mais conseguimos nos separar. Aos poucos descobri um parceiro ideal para a minha mente safada, e pra colocar em pratica muitos dos meus desejos que nunca tive coragem ou companhia para fazer. 


Na primeira vez que viajamos ele me pediu pra sair sem calcinha. Fomos a uma serie de baladas e passamos a noite se esfregando, eu toda molhada. Fui pela primeira vez acompanhada a um sex shop com ele e apesar da tentativa meio frustrada de comprar algo para nos divertirmos, quando voltamos para casa, paguei um boquete delicioso para ele no carro… morro de tesao de ver o pau dele duro e ele tentando se concentrar para dirigir, todo entregue enquanto eu chupo ele.


Sempre tive tesao em pensar em fazer sexo em publico, ir em uma casa de swing e ate mesmo em fazer sexo a três. Nunca tive coragem ou alguém tao parceiro e que fosse safado o suficiente para fazermos essas coisas juntos. E acho que também nunca senti tesao o suficiente por alguém para ir em frente com essas safadezas.

Mas ele me deixa molhada so de pensar nas mãos dele me pegando, me agarrando, quando ele tira a camisa morro de tesao por ele e toda vez que ele esta por perto, quero tirar a roupa dele e ver aquele pau gostoso, duro e pronto para me comer. E ele me come muito bem. 


Sou da teoria que quanto mais sexo você faz, mais você quer. E agora tenho certeza. As vezes, depois de uma noitada de sexo fantástico, ele vai embora de manha cedo para ir na academia e eu me masturbo, toda molhada so de pensar nos orgasmos da noite anterior e naquele pau duro dentro de mim. 


Como ele também e assim, cheio de vontade, formamos uma boa dupla e entre maratonas de sexo, almoços executivos (por sinal, tive um dos melhores orgasmos da minha vida em um desses almoços com ele) e muito tempo juntos, sempre falamos sobre nossas vontades, putarias que queremos fazer e outras coisas. E em uma dessas conversas comecamos a falar de ir em uma casa de swing. Meio que para conhecer e ver como seria, nada muito serio sobre trocarmos de casal.  Afinal não sei se gostaria de vê-lo com outra mulher ou se ficaria relaxada trepando com outro na sua frente.


Apesar do sexo quente com ele, nunca fui tao safada assim, sempre instiguei os caras que estavam comigo, mas mais porque sabia que eles nao iam pra frente com aquelas ideias. Mas com ele e diferente, e qualquer desejo pode virar realidade em um piscar de olhos. E foi assim que começamos aquela noite. Minha primeira vez em uma balada liberal. 


Estava em casa e ele chegou… estávamos em um clima meio tenso ainda da discussão e os dois tentando amenizar a situação. Ele estava chateado porque nao sabíamos o que fazer aquele dia, eu nao sabia exatamente o que ele queria fazer e decidi que poderíamos tomar um drinque enquanto isso. Fomos nos acalmando e quando terminamos a  garrafa de prosecco, surgiu o assunto da baladinha. Decidi ir em frente com a ideia. Coloquei um vestido soltinho, mas curto, salto alto e resolvi ir sem calcinha… nao sabia como funcionava o lugar, mas andar de vestido sem calcinha me deixa com tesao, como se pudesse dar para ele em qualquer lugar.

Acabamos a segunda garrafa, chamamos um taxi e fomos. Ele pediu pro taxi parar um pouco para baixo da balada. Adoro esse jeito dele safado mas ainda cheio de pudores. 

Quando entramos no lugar, fiquei impressionada. Era uma baladinha normal. Mas so de estar em uma casa de swing, mesmo que ?leve?, eu ja estava cheia de tesao. Sentamos em uma mesa nos camarotezinhos em volta da pista e tomamos mais um drink. Eu ja estava com a mao no pau dele. Adoro colocar a mao nele quando estamos em algum lugar publico. E adoro ver que ele sempre deixa e fica de pau duro. 


Tomamos mais alguns drinques e ficamos olhando as pessoas  se beijando… tinha um showzinho de strip bem leve no palco, garotas com vestidos bem curtos e a balada estava legal… uma musiquinha boa e o lugar era interessante. Mas eu queria saber onde era a putaria. Fomos dar uma volta e vi uma escada. Me empolguei e subimos. NAo tinha niguem… Era um espaço enorme e dava apra ver a pista toda la de cima. 


Aproveitei que estávamos so nos dois, mas que as pessoas podiam ver a gente de alguma forma e comecei a pegar no seu pau. Eu adoro o pau dele. E uma delicia, gostoso duro e so de pensar em coloca-lo na boca fico com tesao. Ele encostou em um banco eu comecei a chupa-lo com vontade. Aquele clima de estar em um lugar aberto, a ideia da putaria, e aquele pau grande e duro na minha boca, tudo me deixava molhada. Ouvi alguém falando algo mas continuei chupando o pau dele. Ate que percebi ele me tirando dali e olhando para alguém. Era um segurança. Estavamos em um lugar proibido. Era o camarote do dono da balada. Chupei mais um pouco o pau dele e tivemos que descer. Me deu ainda mais tesao. Fizemos algo proibido em uma balada liberal. 


Resolvi perguntar para um outro segurança onde era que rolava a putaria… e ele me apontou uma cortina no fundo da balada. Fomos direto para la. Voce entra e eh um corredor cheio de salas de cada lado, de tamanhos diferentes, iluminação baixa… algumas pessoas se pegando. Nada muito agressivo, mas dava tesao de ver e pensar nas possibilidades. No final do corredor um espaço mais amplo, algumas camas redondas e dois quartos de vidro com casais fazendo sexo exibicionista dentro… nao faz meu estilo, mas foi interessante ver aqueles casais ali, totalmente sem roupa fazendo sexo selvagem para os outros verem e também ver outros paus duros  e os gemidos altos me excitavam demais.


Todo mundo tem um fetiche. E todo casal devia ter coragem de por em pratica. A noite estava uma delicia e fomos entrando em algumas salas.. Depois de algumas voltas paramos em uma das salas e eu precisava dar para ele. Sentir aquele pau gostoso dentro de mim. Ele ja tinha me pegado de costas em uma parede, mas nessa ultima sala, entramos ele fechou a porta, sentei ele na bancada e sentei por cima dele e comecei a cavalga-lo. O gostoso é que eu sabia que  estavam nos olhando então eu me esforçava nos gemidos e na violência da cavalgada. Ele estava totalmente no  jogo e metia forte em mim também, até que aconteceu algo inesperado. Nestas salinhas há buracos para as pessoas colocarem as mãos e irem passando a mao em você que está lá dentro. 

De primeiro não acreditei quando senti  uma mao alisando minha perna quando vi que era uma mao estranha mostrei logo pra ele. Ele fez cara de tudo bem e continuou metendo, deixei aquela mao ali mas não tirava o olho dela. Nunca tinha sido alisada por um terceiro enquanto trepava, e principalmente de um desconhecido que eu em saberia que é, e nem ele saberia quem sou. Isso me deu um tesao extra para me soltar. Segurei aquela mao e a direcionei para alisar meu bumbum. O safado da mao começou a aperta-lo e procurar meu cuzinho, eu estava adorando a sensação, so que meu macho resolveu mudar de posição. Me colocou meia sentada, meia deitada no banco de frente pra ele e começou a me comer forte ali. Eu não tirava o olho do buraco e logo a mao retornou e começou a alisar meus seios. Meu homem não se importava e eu, lógico deixei rolar.


Num impulso tiro meu seio para fora do vestido e a mao começa a perta-lo  e massagea-lo e meu macho me comendo, logo a mao some, fico ate decepcionada pois estava gostando, olhei para o buraco e me aparece um pau lindo, duro, envergado para cima. Olho para meu macho completamente sem saber o que fazer, as estocadas dele eram firmes, o meu olhar pedia permissão, mas ele não tinha reação e metia cada vez mais. Até que não pensei em nada e segurei aquele pauzao que estava ao meu lado e lentamente comecei  a punheta-lo.  Meu  homem  olhava para   aquela situação e so tentava meter mais fundo, percebi que ele tava gostando de ver então comecei a punhetar mais aquele belo mastro. 

Eu já estava quase gozando com meu macho me fudendo e eu segurando aquele pau desconhecido, quando meu macho tira seu pau de dentro de mim e goza tudo na minha barriga. Geralmente  eu adoro vê-lo gozando mas ali, naquele momento eu queria um pouco mais, pois estava quase tendo um dos meus melhores orgasmos, recebendo uma bela pica na minha bucetinha e segurando um mastro lindo.


Ele percebeu minha desilusão, eu não soltei o pau desconhecido e ele deu seu pau para eu chupa-lo e deixa-lo limpinho e foi o que fiz, mas não soltava do outro, inclusive aproveitei enquanto o chupava para botar velocidade na punheta. Quando ele parece estar satisfeito, empurra delicadamente minha cabeça para trás, tirando seu pau da minha boca, eu olho pra ele com a expressão que faltava eu gozar. Então ele direciona meu rosto para o pauzao e eu sem pensar em nada começo a chupar  aquele desconhecido. Fico de quatro no banco chupando aquele pauzao e sinto meu homem chupando minha buceta. Ai sim... Assim eu gozo. O que eu não contava que essa situação também deixou meu macho com muito tesao seu pau nem amoleceu e ele estocou seu pau em mim novamente.



Eu estava ali naquela salinha pequena, escura de quatro recebendo meu homem e chupando um desconhecido total. Toda hora meu macho perguntava se eu tava gostando eu de boca cheia so respondia com murmúrios. Entao ele tira de uma hora para outra minha cabeça daquele pau, mas eu me agarro nele, não queria perde-lo. Ele beija minha  nuca e pergunta se eu tava gostando de ter outro pau. Eu digo que sim. Eu sabia que ele já estava prestes a gozar de novo, me concentrei e gozei antes  e como uma estrategista e  gozando, gemendo  aviso: - Não goza ainda que eu quero dar minha bundinha ainda. Quando eu falei isso so senti o jato na minha  bunda, ele gozou so de pensar em comer meu cuzinho o que eu não contava que o desconhecido também ouviu e não resistiu ouvir uma mulher falando em dar o cuzinho e gozou, fartos jatos no meu rosto e seios.



Resolvemos sair da sala. A experiência tinha sido fantástica. Ainda tentei ver quemera o desconhecido mas devido a escuridão não vi. Dancamos mais um pouco e ficamos por ali por mais algum tempo esperando baixar a adrenalina. Voltamos para casa. Eu estava acabada e ele também. O dia seguinte era domingo e poderíamos descansar. Mas quando acordamos, ainda estávamos cheios de tesao daquela noite diferente e divertida e fizemos sexo o dia todo, entre conversas sobre tudo aquilo e planos de putaria pro futuro. Estamos sempre planejando a próxima putaria, ainda nao sei o que será. Adoro ver ele cheio de tesao e saber que além do amor da minha vida, encontrei um cara safado e divertido para curtir esses momentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário