sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

NOIVOS EXIBICIONISTAS

Meu nome é Rodrigo e o da minha esposa Cláudia, somos de Belo Horizonte, ela é morena, bonita, cabelos longos, 1,62, 53 kg, seios pequenos durinhos e empinadinhos, cintura fina e bumbum grande, enfim, deliciosa. O que passo a narrar agora foi uma das nossas transas, gostamos de exibicionismo, já fantasiamos mais alguém em nossa cama, mas não tivemos coragem de realizar esta fantasia, pois ela é muito recatada e eu ainda inseguro, não gosto dos relatos que o cara fica xingando o outro de corno, e vejo que a maioria dos caras que fazem o ménage acham que nossas mulheres são piranhas, logo isto nos desanima bastante. Mas vamos ao conto. Quando éramos namorados e até como noivos, gostávamos de transar em locais públicos ou que corrêssemos o risco de sermos pegos.

 Quando namorávamos, estávamos na casa dos pais dela e dormimos na sala de televisão eu, ela e minha cunhadinha, lá pelas tantas as duas dormiam e comecei a fazer carícias na Cláudia, alisando seus seios e sua bucetinha carnuda, começamos a nos beijar e ela foi descendo a mão até meu pau que já estava duro como pedra, de tanto nos esfregar o tesão tornou-se incontrolável e ela de repente me virou chegou sua calcinha para o lado e subiu no meu pau encaixando-o em sua bucetinha já encharcada de tesão, minha cunhada a poucos centímetros de nás parecia em sono profundo, mas até hoje não sabemos se ela nos flagrou, pois permaneceu imável durante toda a transa, apás uns dez minutos de vai e vem naquela bucetinha deliciosa enchi ela de porra quente e grossa e caímos ofegantes, ainda com medo de que ela acordasse ou que meu sogro aparecesse. Essa sem dúvida foi a transa mais arriscada de todas, mas tivemos outras tantas que também foram deliciosas e que passo a contar.

Certo dia saímos para um boate e depois fomos a um drive-in, já na boate eu sentado e ela em pé com uma saia preta e uma meia calça 3 que dava acesso a sua bucetinha que era acariciada sem rodeios para quem quisesse ver, quando entramos no drive-in já quase sem roupas desci do carro, chamei-a e ela meio sem entender mas com um baita tesão saiu do carro, acabamos de tirar toda a nossa roupa e aquela morena deliciosa e com tesão estava ali toda entregue a mim, virei-a de costas e enterrei meu pau em sua bucetinha, colocando-a bem rente a cortina do drive-in, e de repente ainda atolado em sua bucetinha abri a cortina com ela se apoiando com uma mão na parede e a outra na cortina aberta, a nossa frente.

 Um pouco afastado o segurança do local fitava a cena que não devia estar acreditando, aquela mulher maravilhosa nuazinha em pêlo sendo deliciosamente metida por trás, ela ficou assustada pediu para entrarmos no carro, mas eu estava adorando exibi-la para o segurança que acariciava o cacete disfarçadamente, o cara por respeito ou receio não se aproximou(infelizmente, pois naquela noite eu estava muito chapado e com certeza deixaria pelo menos ele tocar uma punheta pertinho dela), apos uns cinco minutos de exibição direta sentei no carro e ela do lado de fora, agachada, me chupou ate eu gozar na sua boca. Depois que saimos do drive-in comentando o fato que acabara de ocorrer, perguntei a ela se tinha gostado de se exibir, ela respondeu que sim, mas depois disse que ficou envegonhada e arrependida.

Nao sei porque mas sinto um tesao enorme nessas situaçoes e o interessante vem ser a perceber que ela fica completamente molhadinha e tesuda nessa situaçao. E voces gostam?



Autor - NOIVOS

.

5 comentários:

  1. Adorei a história... BH é uma bela cidade. Adoro!!!!
    Apareçam por aqui!!!!

    ResponderExcluir
  2. Sou de BH. Muita mulher bonita aqui. Adoro perigo também e já vivi muitas aventuras em drive-in.

    ResponderExcluir
  3. Somos um casal portugues que também gosta de foder em locais onde é observado, especialmente por outros casais. Os nossos locais preferidos são as praias, até mesmo de pé, dentro de água. Já temos notado que outros casais, ao aperceberem-se o que nós fazemos, procedem de igual forma. A minha esposa demonstra mesmo o que está acontecendo, o que a excita imenso. Outras vezes afastamo-nos para locais isolados, mas possiveis de alguém nos observar, o que sucede com frequência e uma das vezes um jovem casal aproximou-se de nós, propondo para uma troca de parceiros, o que não aceitamos, embora a jovem fosse bastante apetitosa e o elemento masculino também fosse apetecivel para a minha esposinha, noentato êles foderam também ao nosso lado, observandomo-nos mutuamente e aumentando mais o nosso tesão e, ainda hoje, a minha esposa recorda com saudádes os momentos de prazer que obteve ao ver a outra esposa ser penetrada e ouvir os seus gemidos de goso. Não sabemos quem será esse casal porque nunca mais nos encontramos.

    ResponderExcluir
  4. Olá,

    Adoro seu blog e acompanho já há algum tempo.
    Tenho fetiche por botas femininas e sempre que quero ve algo na net encontro poucas coisas em páginas brasileiras. Então criei um blog, gostaria de convidar você para conhecer e se possível colocar na lista de blogs parceiros

    Fiz apenas para criar um lugar onde pessoas que compartilham do mesmo fetiche podem encontrar um conteudo legal, sem propangadas e vírus.


    http://botasfetiche.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Adoro tirar o cabaço de noivas.

    > Eu sou Ricardo do Recanto das Emas, Brasília-DF sou comedor de esposinhas e procuro casadas, grávidas, gringas, noivas, solteiras, viúvas sedentas, mulheres coroas em fim mulheres safadas e que queiram uma boa amizade e principalmente sexo sem compromisso. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles.

    >> ricardo.goza.df@gmail.com
    >>> +55 (61) 8258-8767 (TIM) whatsapp.
    >>>> SKYPE: ricardo.goza.df
    >>>> BRAZIL Brasília-DF (Recanto das Emas)

    ResponderExcluir