quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

BALADA EM BH

Esse é nosso primeiro conto, somos um casal que adora um sacanagem, sempre juntos e tudo começou a partir deste lance que ocorreu e que narramos a seguir, se gostarem, deixem comentários que postamos outras aventuras...
Minha esposa é uma mulher muito gostosa, branquinha do tipo magra sarada, com corpo modelado por academia, onde treina uma modalidade de luta e apesar de seus 40 anos tem uma bunda redonda e peitinhos pequenos e durinhos, pernas compridas e bem torneadas, lisinhas com poucos pelinhos dourados nas coxas, corpinho lindo e que do alto de seus 1,76 metros deixa muita novinha olhando, ainda mais por termos duas filhas pequenas. Sempre que saímos ela gosta de se vestir de maneira a me provocar, sempre caprichando na calcinha fio dental que ela sabe que quanto mais minúscula ela for, maior minha fissura para voltar pra casa e fodê-la muito e ela sempre arranja um jeito de me fazer perceber o que ela está usando. Aliado ao ínfimo tamanho da lingerie, ela sempre acrescenta um sapato de salto alto que a deixa ainda mais gostosa e na maioria das vezes coloca um vestido curto.


Como moramos no interior de MG, sempre vamos a BH passear e aproveitamos para deixar as crianças com os avós e sairmos pra dançar. Nessas ocasiões ela sempre exagera na dose da safadeza, usando vestidinhos curtos, justos ou soltos, saltos altíssimos e calcinhas eróticas bem pequenininhas, sem sutiã. Sempre acabamos em um motel, trepando ate amanhecer. Numa dessas saídas fomos a uma balada em BH, ela usou vestidinho branco de alcinhas amarradas ao pescoço deixando suas costas nuas até a altura da cintura, quase aparecendo a calcinha pelo fim do decote e o tecido fino destacava seus peitinhos pequenos e firmes, com bicos grandes e rijos e colocou um sapato de salto alto preto e uma calcinha do tipo tanguinha branquinha bem pequena. Sempre fomos muito safados no sexo, e adoramos nos provocar mutuamente, sendo uma das sacanagens que ela adora é ser fodida por mim na balada, escondidos e correndo o risco de sermos vistos. 

Estávamos na pista dançando, beijando e nos pegando muito, quando saí para pegar cerveja e ela continuou dançando, de um jeito sexy e com sua pouca roupa, chamando atenção dos homens ao seu redor. Um cara não perdeu tempo, colando atrás dela, que para minha surpresa - e excitação - se esfregou nele enquanto dançava, roçando a bunda no seu pau que a essa altura já devia estar bem duro. Como sabia que ela não faria nenhuma loucura sem mim, deixei-a mais um pouco naquela safadeza, pois fiquei mesmo excitado, meu pau estava como pedra, já que ela estava provocando-o. Aproximei-me devagar até estar no campo de visão dela, que ao me ver fixou o olhar safado em mim enquanto dançava, rebolava e roçava a bunda no pau do cara e todou seu peito com as costas nuas, quando ele levou as mãos em sua cintura tentando tocá-la, aí ela deslizou de lá até mim e me tascou um beijo na boca, colando em mim enquanto esfregava a bucetinha em meu e pau sussurrou no meu ouvido: - Amor, eu estou com tanto tesão que fiquei esfregando a bundinha no pau duro de alguém que colou em mim enquanto você não vinha...aquilo me deixou muito excitado, disse que ela era uma safada e que corria o risco de alguém querer comê-la, ela então, com voz bem safada me disse no ouvido: - Sou sua mulher, alguém só vai me comer se você deixar. Fiquei surpreso, pois só em nossas tórridas trepadas falávamos em ter outra pessoa entre nós. 

Nesse momento fui com ela para um canto bem escuro no fundo da boate, tipo de um camarote, sentei-me num sofá e tirei o meu pau duro pra fora da calça e ela sentou-se no meu colo, de costas pra mim, puxou a pequena tanguinha de lado e pude sentir que sua buceta estava bem melada quando ela encostou na cabeçona, deslizando pra baixo ate enterrar tudo e começando a se mexer no ritmo frenético da musica para não sermos flagrados e estragar a transa. Durante a trepada, alisando suas costas nuas, enfiei as mãos pelas laterais de seu vestido e acariciei seus peitinhos, encostando-se e deitando a cabeça no meu pescoço ela sussurrava sacanagens no meu ouvido quando perguntou se meu pau estava duro daquele jeito por ter visto ela se esfregando em outro homem na pista. Antes de responder que sim vimos alguém se aproximar e para nossa surpresa era o mesmo cara da pista que chegou próximo ao seu ouvido e perguntou se podia entrar na brincadeira. Aquilo para nós foi uma surpresa, apesar de nas nossas conversas e safadezas já termos tocado no assunto, fantasiando transas com outro homem ou outra mulher.

 Com o tesão em alta aliado à adrenalina do risco de sermos pegos, eu disse a ela que a deixaria se deliciar aquela pica e ela pegou o pau dele que já estava para fora da calça, duro e grande e abocanhou com vontade, sugando, lambendo e mamando, enquanto alisava o saco dele. Ficamos ali por uns poucos minutos até gozarmos, eu e ela encaixados e ela com o pauzão dele na boca, tirando antes de gozar. Levantamos e pra minha surpresa ela o puxou e o encostou na parede, colando nele de costas e encaixando sua bucetinha encharcada de porra no pau dele, facilitado por sua estatura e o salto alto que usava e começou a dançar enquanto ele metia e sussurrava sacanagens em seu ouvido. Fiquei ao lado, só olhando sua safadeza enquanto ela se contorcia com o vestidinho soltinho e curto escondendo o que faziam e eu achando ela cada vez mais sexy naquela cena. Por fim percebi que os dois gozaram juntos, deixando-a com a buceta ensopada. 

Ela se desvencilhou dele e veio a mim, abraçou-me, quase subindo em meu pau ainda duro, enroscou uma perna em mim e passei a mão na bucetinha dela, percebendo que estava toda melada. Saímos às pressas da balada e quando me toquei já estávamos no motel, onde terminamos a noite em mais uma trepada completa até amanhecer...

3 comentários:

  1. Adoro mulheres casadas e comprometidas se quiser quiser só chamar no WhatsApp 31_986416188 sou de BH

    ResponderExcluir
  2. vendo pramil cartela com 20 comp. de 50 mg cada entrego em maos na zn de sp 80 reais a cartela whats 11 98348 1327 bruno

    ResponderExcluir