quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

ACHO QUE TRAI PELA METADE

Oi, eu quero contar uma coisa para vocês que eu não tenho coragem de contar para o meu marido.

Eu sou casada há cerca de 7 anos e gosto muito do meu marido e dos meus filhos. Foi com ele que eu perdi a virgindade e nos damos muito bem. Quer dizer, na cama as coisas andam um pouco frias ultimamente. Mas, mesmo assim, tudo ia bem ate eu começar a fazer faculdade no início deste ano. O curso de educação física me fez conviver com mais gente, meninada jovem, cheios de tesão e de vontade de aproveitar a vida, o que acabou me contagiando.

Neste semestre eu comecei a ter aula de voley com um professor que é um tesão. Todas as meninas estão taradas por ele. Mas ele e casado e ninguém mexe com ele. Eu também fico molhada quando tenho aula com ele, principalmente porque no vestiário as meninas não param de falar dele e tudo mais, o que me excita pra valer.
No começo eu levava numa boa e nem me passava pela cabeça nenhuma bobagem, mas nas últimas 3 semanas eu passei a reparar que ele tava começando a me notar. Isso fez com que eu começasse a me arrumar um pouco mais e olhar diferente pra ele também. Mas ainda não passava de uma coisa inocente e distante, afinal eu não pensava em trair meu  marido. Eu estava lá para estudar.

No entanto, a coisa foi evoluindo e, sem combinar nada com ele, nós começamos a achar um jeito ou outro de trocar algumas palavras. Sempre que a gente tinha oportunidade conversava um pouco e se olhava dum jeito que não precisava dizer nada, nós dois estávamos a fim.

Um dia aconteceu da gente de encontrar por acaso no estacionamento da faculdade e o papo se alongou um pouco mais. Foi o suficiente para ele me convidar para a gente sair para algum lugar mais discreto onde pudéssemos conversar mais a vontade. Me fiz de inocente e concordei, como se fosse uma coisa natural, sem malícia. Marcamos para o outro dia, que foi quarta-feira passada.

Voces não imaginam como eu fiquei excitada com isso. Quando nos despedimos e ele foi embora e eu entrei no meu carro, eu sentia meu coração batendo no meio das minhas pernas. Como eu estava de saia e nao tinha ninguém por perto aproveitei para passar a mão na minha xaninha. Quase gozei ali mesmo, tal era minha excitação. Demorou uma eternidade para chegar a hora marcada. Combinamos de ir, cada um seu carro, até um estacionamento de um supermercado e, de lá, ver aonde iríamos. Quando entrei no carro dele parecia que não estava sentindo o chão, parecia estar dentro de um filme, que loucura.

Ele dirigiu em direção a um motel. Eu fiz um pouco de cerimonia, disse que não, mas sem a menor convicção, ele percebeu na hora. Disse a ele que iria mas se ele prometesse que nos não iríamos fazer nada, só conversar. Ele prometeu.

Chegamos lá e ficamos conversando por algum tempo. Mas nós dois queríamos muito nos tocar e então aproveitamos a desculpa da música e começamos a dançar. Daí para um beijo foi quase instantâneo. Tava muito gostoso dançar com ele e alisar as costas dele. Ele também fazia o mesmo, só que as mãos dele iam ate minha bundinha onde ele podia sentir a minha calcinha por cima do tecido fino do vestido que eu usava.

Eu também comecei a aproveitar e passar a mão na bunda dele que era deliciosa e que todas as meninas elogiavam. Ele foi levantando meu vestido devagar e alisando minha bundinha e eu passei a mão por cima do pau dele, que delícia, estava bem duro.
Deitamos na cama nos beijando e continuamos nos alisando mutuamente. Eu tirei a camiseta dele e comecei a beija-lo inteiro. Fui descendo e tirei sua calça deixando ele de cueca. Beijei as coxas dele, subi até a boca beijei gostoso, desci beijando seu peito, sua barriga e comecei a mordiscar seu pinto por cima da cueca. Quando passava a lingua na sua virilha ou na sua perna próximo a cueca na região do saco, ele ia às nuvens e voltava. Isso me animou e acabei afastando um pouca a cueca e passando a lingua no saco dele. Ele quase gozou. Depois afastei a cueca e passei a língua na cabecinha do seu pau, que já tava todo molhado.
Ele tava adorando, eu também. Fui me esfregando nele até lhe dar mais uns beijos. Nessa hora eu ficava com minha bucetinha esfregando no pinto dele, que loucura. Quando voltei para dar mais uma lambida no pau dele acabei me empolgando e não aguentei, coloquei ele na minha boca. O pau dele é menor que o do meu marido, que é bem grandinho. Mas eu achei ótimo o pau dele porque cabe inteirinho na minha boca. E com a vontade que eu estava eu engoli o pau dele com muito tesão, ele ficou maravilhado com a chupada.

Ele viu que nao ia aguentar sem gozar então me derrubou na cama e pulou em cima de mim retribuindo os beijos e lambidas que eu dei nele. Tirou meu vestido mas eu não deixei ele tirar minha calcinha nem meu sutian. Apesar disso os dois eram de rendinha e não escondiam muita coisa mesmo. Quando ele começou a beijar minha bucetinha por cima da calcinha eu fui à loucura. Logo ele começou a usar o mesmo artifício que eu havia usado e começou a me lamber nas beiradinhas da calcinha, me deixando louca. Mais um pouco e ele estava afastando um pouquinho a calcinha e lambendo mais perto da minha bucetinha.

Gente eu estava literalmente derretendo na boca dele. Nao sei, acho que estava tendo um orgasmo continuado porque a sensação estava muito boa. Por sorte, num momento de lucidez eu lembrei de olhar no relógio. Estava na hora de voltar pra casa, meu marido devia estar me esperando para almoçar. O cara é tão gente fina que entendeu e concordou em segurar a barra. Levantamos lamentando mutuamente mas fomos embora.

Quando cheguei em casa meu marido já estava sentado almoçando com meus filhos, dei um beijo na boca dele e na testa dos meninos. Depois que eu lembrei que não havia lavado a boca da chupada que eu tinha dado no meu professor. Eu com a maior cara-de-pau ainda reclamei deles não me esperarem. Ele, coitado, pediu desculpas disse que achou que eu estava tendo alguma aula importante ou aproveitando para tirar o máximo do que a faculdade pode me dar. Isso eu tava mesmo, rssss.

Logo que terminamos de almoçar pedi para nossa empregada levar os meninos na escola. Quando eles saíram chamei meu marido para o quarto empurrei ele na cama e comecei o maior amasso com ele. Ele, claro, estranhou, afinal, como eu havia dito, nós andávamos meio frios um com o outro na cama. Acabei dando um jeito dele me dar uma lambida no que ele me disse, “caralho, você tá encharcada, o que tá acontecendo?” eu disse “estou com tesão” e ficou por isso mesmo. Na sequência, fui beijando ele até começar a chupar o seu pau.

Nisso eu me empolguei e, apesar do pau dele ser grande e não tão gostoso quanto o do professor que eu havia me deliciado há pouco, chupei com tesão e deixei ele louco. Ele disse que eu estava demais, que se não parasse ele iria acabar gozando na minha boca. Eu falei pra ele que era o que eu queria. Na verdade, até aquele dia eu nunca tinha deixado ele gozar pra valer na minha boquinha. Sempre que eu chupava ele eu dizia pra ele não gozar. Por isso ele estranhou meu comportamento.

Continuei chupando e ele acabou gozando gostoso, me enchendo a boquinha de porra. Acabei gostando, tamanho era o tesão que o meu professor tinha me deixado. Me limpei e falei pra ele correr que estava atrasado para o trabalho. Ele se limpou e saiu rapidinho me deixando na cama com meus pensamentos infiéis.
Acabei me masturbando e gozando sozinha, depois de ter dois cacetes à disposição e não ter deixado nenhum deles me comer.

A unica coisa que sei é que vou sair da faculdade, ela vai acabar com meu casamento. Voces nao acham?




Nenhum comentário:

Postar um comentário