segunda-feira, 17 de julho de 2017

A Mãe de Um Jogador Carioca.


Como vocês sabem eu moro no RJ e tenho poucos amigos, mas, estes são de confiança e estão em diversas classes sociais e constantemente vou a churrascos em churrasqueiras de tijolos no chão a jantares luxuosos e nesse grupo de amigos tem um casal que nos conhecemos desde os 16 anos e sou padrinho de sua filha mais nova eles adoram festas e quando seu filho mais velho se profissionalizou no futebol eles fizeram uma festa para comemorar este fato e seu aniversário, alugaram um clube com campo de futebol e convidaram alguns jogadores amigos do filho que atuavam em outros times e seus respectivos pais, pois muitos estavam juntos no sonho dos filhos desde categoria de fraldinha.
Cheguei ao Club por volta das 11h30min ainda cansado da noite anterior e fui recebido pelo casal de amigos e tomei um Chopp com eles e com Celeste mãe de outro jogador que chegara ao mesmo momento que eu, mas tinham que dar atenção aos demais convidados nos deixou ali e demos sequência ao assunto futebol, seu filho chegou, ela o apresentou, ele seguiu para o campo onde estavam seus amigos e ficamos ali nos hidratando, onde tomei ciência que ela era divorciada há cinco anos que praticamente criou o filho sozinho, pois o pai não gostava de trabalhar e não pagava pensão uma triste história que é realidade de muitos jogadores de futebol.
Celeste, é uma linda mulata na época com 39 anos, corpo durinho, pois malhava e muito inteligente, na mesa o assunto evoluiu e falamos diversos assuntos e dado momento a convidei para conhecermos a estrutura do Club e assim fizemos confesso que ao ver aquela linda bunda andando na minha frente eu fiquei de pau duro fazia sol e estava um pouco quente o tempo e como havia esquecido meu celular no carro a convidei para irmos a parte externa e ao chegar peguei o aparelho e a convidei para ficarmos um pouco no ar ela ficou meio insegura, mas acabou entrando e trocamos uns beijos a minha vontade era de pega lá ali mesmo ou seguirmos para outro local, mas ela pediu para voltarmos, pois não queria ser vista pelo seu filho ali bem como pelos demais.
Ao voltarmos para o Club, assistimos à partida em que seu filho jogou e assim que acabou o jogo seu filho quis ir embora, ela fez com que ele demorasse ainda mais uma hora e me prontifiquei à deixa los na casa de sua tia na Tijuca, pois moro no Meier e seria caminho o rapaz sentou na frente ela atrás e fomos batendo um papo e dado momento ele me convidou para ir a casa deles, pois haveria uma festa assim que ele assinasse como profissional ao olhar pelo retrovisor, celeste estava com um lindo sorriso os deixei no destino e segui para casa.
Mantemos contato e Celeste disse que se fossemos sair era para eu ser paciente, pois estava há quatro anos sem sexo e me questionou o que de fato eu queria se era ficar com ela ou apenas sexo eu disse: os dois ela sorriu. Na terça feira ela iria para casa na região dos lagos então eu a busquei cedo na casa de sua tia e nos internamos num hotel no centro do Rio, ao chegar pedi um apartamento e ao entramos nos agarramos e começamos a nos beijar ela se ajoelhou e começou a chupar minha rola, esfregava meu pau nas suas tetas e começou uma espanhola e mordia suavemente a cabeça do pau ficamos nessa brincadeira um bom tempo, fomos para cama onde ela continuou mamando, mas agora de quatro e eu de olho naquele rabo que contribuía para meu pau latejar em sua boca.
A virei de quatro para fora da cama, onde me agachei e comecei a beijar aquelas nádegas e chupar aquela buceta e seu cusinho, fui dedilhando sua xoxota então coloquei a camisinha, pois ela toda hora repetia que não tomava remédio comecei colocando naquele cu ela gemendo xingava caralho e a madeira entrando e comecei a socar naquele rabo, puxava seus cabelos a xingava também e sua buceta não parava de inundar e dado momento ela gozou muito e me chamava de safado que eu tinha uma conversa mole que me conduziu a essa pica grande, grossa e dura que está me arrombando eu perguntava o que ela era e me respondia que era minha puta, me pediu até em casamento, porém eu disse que não aceitaria, pois ela estava de costa só aceitaria se estivesse olhando em meus olhos, então tirei minha pica a coloquei de frente para mim e coloquei em seu cusinho novamente e socando gostoso ela me pediu novamente ai eu aceitei, mas ela teria que abrir a champanhe ela me perguntou onde estava eu respondi está aqui pego depois e continuei socando, minhas orelhas já estavam toda mordidas e sua língua entrando em meus ouvidos eu percebi que iria gozar tirei meu pau ela sem entender colocou na mão dela e lhe disse: aqui está a champanhe arranque o lacre e agite ela prontamente, retirou a camisinha e me punhetou até que gozei muito em sua cara ela começou a chupar dando um beijo de língua na minha piroca olhou para mim com a cara ainda suja de leite e disse: Você arrobou o meu cu estou me sentindo uma puta, começou a me agarrar e a me apertar e me perguntou se eu queria ter um filho com ela que não contaria a ninguém que era meu para não quebrar o clima eu disse que outra hora poderia pensar nessa hipótese, plastifiquei o menino a coloquei de quatro novamente e comecei a meter naquela buceta que mordia meu pau no inicio fui devagar, mas depois aumentei a velocidade ela gozava muito e pedia mais eu tirava a pica toda e tornava a colocar e ela ia ao delírio dado momento eu tirei e tornei a colocar. Naquele rabo e ela dizia é seu amor seu amor, gozei gostoso tomamos um banho fomos comprar algumas coisas na Uruguaiana de lá fomos para a rodoviária onde ela foi para a região dos lagos no sábado as 06h00min da manhã peguei um ônibus na rodoviária e parti para lá ao chegar lá seu filho não estava ela me apresentou para seus pais que moram com ela os mesmos ficam grande parte do tempo na parte de cima da casa e a tarde sempre dormem ela me chupava na sala e de vestido e sem calcinha sentava na madeira a tarde toda por volta das 17h00min serviram o café e seu pai que é militar disse para que eu ficasse por lá e não pegasse a estrada e que dormisse no quarto do seu neto eu nem gostei ainda joguei duas partidas com o velho de carteado e a noite sai com Celeste ao chegarmos tomei um banho me deitei e não passaram vinte minutos ela veio me buscou para seu quarto onde tem uma cama de casal e brincamos a noite toda eu com medo do velho, mas ela me acalmou ao dizer que foi a sua mãe que falou com ele para ter essa atitude, pois ela havia confessado que estávamos ficando

Nenhum comentário:

Postar um comentário